ESPORTE

Confusão no Maracanã ofusca feito do Vasco no Carioca; Valentim vê 'risco enorme'

18 Fev 2019 - 12h14

A confusão ocorrida do lado de fora do Maracanã, onde pelo menos 29 pessoas ficaram feridas em um conflito entre torcedores e policiais antes do início da final da Taça Guanabara na tarde do último domingo, acabou ofuscando o título conquistado pelo Vasco, assim como o fato de que a obteve com 100% de aproveitamento em sua campanha. O time faturou o troféu desta fase do Campeonato Carioca ao vencer o Fluminense por 1 a 0 em um duelo em que as torcidas dos dois times só puderam adentrar o estádio quando mais da metade do tempo do primeiro tempo do clássico já havia sido jogado.

O conflito ocorreu depois que torcedores, revoltados com uma decisão judicial que obrigava a disputa da final com portões fechados, tentaram forçar a entrada no Maracanã depois de já terem adquirido ingressos. A polêmica decisão, tomada pela desembargadora de plantão Lucia Helena do Passo na madrugada de domingo, acolheu um pedido do Fluminense, em meio a uma disputa entre os clubes pela alocação de suas torcidas no setor sul do estádio.

Como a entrada do Maracanã só foi liberada ao público às 17h30 de domingo, muitos dos torcedores que compraram ingressos acabaram não acompanhando a partida no estádio, pois voltaram para casa. E os portões só foram abertos depois que o Vasco, mandante da final, resolveu ignorar a decisão judicial e abriu os portões do estádio, assumindo o risco de ser multado em R$ 500 mil por causa do descumprimento da ordem judicial.

Ao comentar o episódio, que fez com que o Maracanã também recebesse um público bem menor do que o esperado, o técnico do Vasco, Alberto Valentim, lamentou o ocorrido e lembrou até da estreia do time neste Carioca, no qual venceu o Madureira por 1 a 0, no estádio Conselheiro Galvão, casa do rival, em condições adversas no dia 19 de janeiro.

"Bateríamos o recorde (de público) do ano no Maracanã. É uma pena. Fica difícil criar condições para um campeonato de qualidade. Jogamos contra o Madureira num calor desumano. E quando vem uma partida legal, que o mundo está vendo, acontece isso (a confusão no estádio). Um risco enorme", afirmou o treinador, em entrevista coletiva, na qual não deixou de criticar os dirigentes que hoje conduzem o futebol carioca.

"Estamos arriscando vidas, falamos de crianças, de mulheres, de famílias. Temos de pensar um pouquinho. Se queremos que o futebol melhore, tem de partir das pessoas que comandam", destacou, para também lembrar que o próprio Vasco precisa desempenhar o seu papel e colaborar para que confusões como essa de domingo não se repitam.

"A gente toda hora busca soluções para o futebol brasileiro melhorar. O Carioca é charmoso, com quatro grandes, e nós, principalmente nós que trabalhamos com futebol, precisamos ajudar para que o campeonato evolua. As pessoas importantes dentro do futebol tem de dar exemplo", enfatizou.

Premix Concreto

Matérias Relacionadas

Economia

Lojas de Jaraguá ficam abertas até 17h neste sábado

Segundo Talita Beber, presidente da CDL Jaraguá do Sul, o comércio local está preparado com promoções, ações de vendas casadas e, com foco na segurança por causa da pandemia
Lojas de Jaraguá ficam abertas até 17h neste sábado
Esportes

Hercílio Luz é condenado por escalação irregular com perda de três pontos e multa de R$ 15 mil

Já eliminado, Leão do Sul perde vaga nas quartas de final do Campeonato Catarinense
Hercílio Luz é condenado por escalação irregular com perda de três pontos e multa de R$ 15 mil
Esportes

Jaraguá Futsal vence o Pato pela Copa do Brasil

Com o resultado, o Jaraguá pode até empatar o duelo de volta que se classifica à segunda fase
Jaraguá Futsal vence o Pato pela Copa do Brasil
Geral

Marcada data da licitação do Centro de Treinamento Esportivo

O projeto prevê duas quadras poliesportivas com arquibancadas, vestiários, banheiros, sala administrativa e depósito/almoxarifado
Marcada data da licitação do Centro de Treinamento Esportivo
Ver mais de Esportes