ECONOMIA

Varejo de SP tem em 2018 maior saldo de empregados desde 2014, diz FecomercioSP

11 Fev 2019 - 14h01Por Francisco Carlos de Assis

Considerado pelos economistas como um dos setores mais dinâmicos da economia, o comércio varejista, só no Estado de São Paulo, gerou 3.965 formais em dezembro - melhor número da série histórica. No acumulado de 2018, o saldo de empregos criados no comércio paulista ficou positivo em 12.539 vagas - melhor desempenho anual desde 2014. Os dados são da Pesquisa de Emprego no Comércio Varejista do Estado de São Paulo (Pesp-Varejo) que a Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP).

O saldo de vagas criadas em dezembro, de acordo com a entidade, marcou o quinto mês consecutivo no território positivo e resultou das contratações de 74.426 trabalhadores e do desligamento de 70.461 empregados. "Foi o melhor saldo para dezembro desde 2007, quando se iniciou a série histórica", afirmam os técnicos da FecomercioSP.

Com desempenho de dezembro, o setor encerrou o mês com um estoque ativo de 2.101.748 vínculos empregatícios, o maior nível de empregos desde janeiro de 2016, anotando leve alta de 0,6% em relação a dezembro de 2017.

No comparativo anual, seis das nove atividades analisadas apontaram crescimento do estoque de empregados em relação a dezembro de 2017, com destaque para os segmentos de farmácias e perfumarias, com 2,5%, e de eletrodomésticos, eletrônicos e lojas de departamentos, com 1,8%. Por outro lado, os setores de lojas de vestuário, tecidos e calçados, com queda de 0,6%, e de materiais de construção, com recuo de 0,5%, sofreram as maiores quedas.

Recuperação

De acordo com a assessoria econômica da FecomercioSP, o varejo paulista segue retomando as vagas perdidas no período de crise, entre 2015 e 2016, quando houve um saldo negativo de 106 mil postos de trabalho com carteira assinada.

Além entidade projetava, para o terceiro trimestre, a criação de 5 mil vagas. Mas foram abertas 12,5 mil.

Segundo a FecomercioSP, a expectativa é de que esse processo de recuperação das vagas perdidas continue em 2019, visto que o desempenho dos indicadores de confiança e das vendas do setor já apresentaram melhoras em 2018: inflação e juros baixos e a própria queda do desemprego. "Isso proporcionará um cenário mais atrativo para criação de novos vínculos", acreditam os dirigentes da entidade.

Matérias Relacionadas

Economia

Nascidos em fevereiro podem sacar auxílio emergencial do 3º lote

Recursos são transferidos automaticamente para as contas indicadas
Nascidos em fevereiro podem sacar auxílio emergencial do 3º lote
Economia

Setor rural de Schroeder tem prejuízo histórico após ciclone bomba

Segundo a Defesa Civil, município foi 100% atingido
Setor rural de Schroeder tem prejuízo histórico após ciclone bomba
Economia

Economia com viagens e diárias na pandemia chega a R$ 199,6 milhões

Trabalho remoto proporcionou redução de gastos aos cofres públicos
Economia com viagens e diárias na pandemia chega a R$ 199,6 milhões
Economia

Corupá decreta situação de emergência após estragos causados por vendaval

O decreto autoriza os órgãos municipais para atuarem sob a coordenação da Defesa Civil, nas ações de resposta ao desastre e reabilitação do cenário e reconstrução
Corupá decreta situação de emergência após estragos causados por vendaval
Ver mais de Economia