ECONOMIA

Transportes sobem 0,59% no IPCA-15 de março e geram segundo maior impacto

26 Mar 2019 - 11h30Por Vinicius Neder

O grupo Transportes avançou 0,59% no Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo - 15 (IPCA-15) de março, com impacto de 0,11 ponto porcentual (p.p.) no indicador, o segundo maior entre os grupos de produtos e serviços pesquisados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Os preços de Transportes só ficaram atrás do grupo Alimentação e Bebidas (alta de 1,28%, impacto de 0,32 p.p.). O IPCA-15 de março avançou 0,54% e teve a maior alta para o mês desde 2015.

Nos Transportes, o movimento de aceleração da inflação foi puxado pela passagem aérea (7,54%) e pelo etanol (2,64%), ambos com 0,03 p.p. "A gasolina (0,28%), após três meses consecutivos de quedas, apresentou ligeira alta, contribuindo com 0,01 p.p. no índice do mês", diz a nota divulgada pelo IBGE.

Ainda no grupo Transportes, as variações ficaram entre a queda de 1,15% na região metropolitana de São Paulo e a alta de 5,92% na região metropolitana de Fortaleza. As disparidades responderam, em parte, aos reajustes nas tarifas de ônibus. No IPCA-15 de março, o item "ônibus urbanos" avançou 0,73%, por causa de reajustes aplicados em Porto Alegre, Recife, Curitiba, Rio de Janeiro e Fortaleza.

Também houve inflação de 1,35% nos preços das passagens de trem. Segundo o IBGE, os destaques foram os reajustes nas tarifas do Rio (9,52%, a partir de 2 de fevereiro) e de Porto Alegre (27,30%, vigente desde 13 de março).

O grupo Saúde e Despesas Pessoais registrou avanço de 0,22% no IPCA-15 de março, com o terceiro maior impacto (0,05 p.p.) entre os grupos de produtos e serviços pesquisados pelo IBGE. Em seguida veio o grupo Habitação, com alta de 0,28% e impacto de 0,04 p.p. O item energia elétrica teve alta de 0,43% em março, pouco acima do registrado em fevereiro (0,38%), informou o IBGE.

Deflação

Apesar da aceleração da inflação ao consumidor captada pelo IPCA-15 de março, os preços de artigos para casa e de comunicação ficaram mais baratos. Na contramão da média, os grupos Artigos de Residência (-0,23%) e Comunicação (-0,19%) tiveram deflação de fevereiro para março.

Segundo o IBGE, em Comunicação, a deflação de março se deveu à queda no preço dos aparelhos telefônicos (-1,86%) e ao item telefone fixo (-0,50%), "por conta da redução média de 7,50% no valor das tarifas de fixo para móvel, a partir de 25 de fevereiro", diz a nota divulgada pelo órgão de estatística.

No grupo Artigos de Residência houve deflação nos subitens "mobiliário" (-0,27%), "cama, mesa e banho" (-0,85%) e aparelhos eletroeletrônicos (-0,40%).

Premix Concreto

Matérias Relacionadas

Saúde

Governo decreta fechamento de atividades não essenciais no fim de semana em SC

A decisão é mais uma medida do Executivo estadual para reforçar o enfrentamento ao coronavírus em um momento de agravamento da situação sanitária em Santa Catarina
Governo decreta fechamento de atividades não essenciais no fim de semana em SC
Economia

Câmara de Dirigentes Lojistas de Jaraguá do Sul inova com lançamento do CDL BOX

Além de beneficiar clientes e lojistas, a ferramenta ainda servirá para ajudar instituições jaraguaenses cadastradas.
Câmara de Dirigentes Lojistas de Jaraguá do Sul inova com lançamento do CDL BOX
Economia

Geo Portal, da Prefeitura de Jaraguá, alcança mais de 600 consultas diárias

Serviço busca expandir informações geográficas do município de forma simples e rápida
Geo Portal, da Prefeitura de Jaraguá, alcança mais de 600 consultas diárias
Economia

Lucro da Weg cresce 48,5% no 4º trimestre, para R$ 742,2 milhões

No ano, o lucro chegou a R$ 2,340 bilhões, avanço de 45% ante o ano anterior
Lucro da Weg cresce 48,5% no 4º trimestre, para R$ 742,2 milhões
Ver mais de Economia