Joaçaba Pneus
ECONOMIA

Senado vota emenda que permite políticos e parentes no comando de estatais

19 Dez 2018 - 10h28Por Vera Rosa

O Senado vota nesta quarta-feira, 19, uma emenda da Câmara que abre brecha para a indicação de políticos e seus parentes em estatais. Nos bastidores, há negociações para manter a modificação feita pelos deputados, o que faria com que caísse o veto à ocupação desses cargos por parte de políticos.

Após ter anunciado o apoio ao presidente eleito, Jair Bolsonaro, o PR, por exemplo, tenta emplacar o deputado Milton Monti (SP) em uma das vice-presidências da Caixa.

Monti é funcionário de carreira do banco, mas não foi reeleito. Além dele, parlamentares de outros partidos também pressionam o presidente do Senado, Eunício Oliveira (MDB-CE), a pautar o tema.

Eunício tinha dito que "corrigiria" as alterações feitas pelos deputados na Lei das Estatais para permitir a volta de indicações políticas nas estatais. Na noite desta terça, o deputado Caio Nárcio (PSDB-MG) cobrou de Eunício a derrubada da quarentena imposta aos congressistas. "A política não pode ser criminalizada", protestou Nárcio, que também não foi reeleito.

A pressão chegou ao jantar de confraternização de fim de ano dos senadores, realizado nesta terça-feira, na casa de Eunício. Um relatório do senador Antonio Anastasia (PSDB-MG) recomenda a rejeição à mudança feita pelos deputados no projeto original de Eunício, que tem por objetivo regulamentar a atuação das agências reguladoras.

O texto será apreciado na manhã desta quarta pela Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) e depois seguirá para o plenário do Senado.

A nomeação de dirigentes partidários e de parentes de políticos em estatais é proibida desde 2016, quando o presidente Michel Temer sancionou uma lei aprovada pelo Congresso. Outra modificação feita pela Câmara no projeto de agências reguladoras, porém, retira a quarentena para que políticos ocupem cargos em agências. Assim, deputados e senadores que não foram reeleitos poderiam ser realocados no próximo ano.

O relatório de Anastasia incluiu novamente no texto da lei que regulamenta o tema a exigência para que dirigentes de partidos ou em trabalho vinculado à realização de campanha política cumpram uma quarentena de 36 meses antes de assumirem cargos em conselhos ou diretorias de agências reguladoras. Também cumprirão quarentena de 12 meses ex-executivos de grandes empresas indicados para postos estratégicos nessas agências.

Premix Concreto

Matérias Relacionadas

Economia

Caixa antecipa pagamento de terceira parcela do auxílio emergencial

Novo calendário começa nesta sexta-feira, para nascidos em janeiro
Caixa antecipa pagamento de terceira parcela do auxílio emergencial
Economia

FIESC defende redução temporária do imposto de importação do aço

O insumo teve alta superior a 100% em 12 meses e tem impactado diversos setores, principalmente a construção e o metalmecânico
FIESC defende redução temporária do imposto de importação do aço
Economia

Sine de Santa Catarina tem 5.145 vagas de emprego abertas

Todas as vagas são para contratações efetivas, os pré-requisitos e a carga horária variam de acordo com o cargo.
Sine de Santa Catarina tem 5.145 vagas de emprego abertas
Geral

Sicredi fortalece o compromisso com a agricultura familiar em SC

Atuação do Sicredi junto a agricultura familiar e em toda a cadeia produtiva do agronegócio fomenta o desenvolvimento econômico.
Sicredi fortalece o compromisso com a agricultura familiar em SC
Ver mais de Economia