105 Ouça
Caraguá
ECONOMIA

Secretário Marinho tenta apaziguar relações entre Executivo e Legislativo

23 Mar 2019 - 18h27Por Eduardo Rodrigues

Enquanto os presidentes da República, Jair Bolsonaro, e da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), continuaram trocando farpas em declarações à imprensa neste sábado, o secretário especial de Previdência e Trabalho, Rogério Marinho, continua tentando apaziguar as relações entre o Executivo e o Legislativo. "Estamos todos ajudando a distensionar", disse Marinho na tarde deste sábado.

O ex-deputado foi escalado pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, como o cara do governo para a reforma da Previdência justamente pela habilidade de negociação política que Marinho demonstrou ao relatar a reforma trabalhista aprovada em 2017 no governo Temer.

As alfinetadas entre Maia e Bolsonaro - além do entorno do presidente, como seu filho Carlos - durante toda a semana ampliaram o temor do mercado sobre a desarticulação política do Planalto com o Parlamento, que poderia colocar em risco a aprovação da reforma previdenciária.

De acordo com o jornal O Globo, Marinho disse a empresários em um evento neste sábado no Guarujá (SP) que o "mundo caiu" na sexta-feira, após a elevação do tom das críticas cruzadas entre Bolsonaro e Maia. No evento, o secretário admitiu que o processo de negociação sobre a reforma "deu uma degringolada".

Caraguá

Matérias Relacionadas

Segurança

Banco Central comunica vazamento de dados de 160,1 mil chaves Pix

Foram vazados dados cadastrais da Acesso Pagamentos
Banco Central comunica vazamento de dados de 160,1 mil chaves Pix
Economia

Presidente negocia PEC para zerar impostos sobre combustíveis

Em 2021, a gasolina e o diesel subiram 47%, Etanol acumula alta de 62%
Presidente negocia PEC para zerar impostos sobre combustíveis
Economia

Sindicato dos Metalúrgicos da região e classe patronal fecham reajuste para 2022

Confira o reajuste que será concedido aos trabalhadores
Sindicato dos Metalúrgicos da região e classe patronal fecham reajuste para 2022
Geral

Mega-Sena acumula e próximo concurso deve pagar R$ 22 milhões

Próximo sorteio será no sábado
Mega-Sena acumula e próximo concurso deve pagar R$ 22 milhões
Ver mais de Economia