Dia internacional das Mulheres
ECONOMIA

Secretário Marinho tenta apaziguar relações entre Executivo e Legislativo

23 Mar 2019 - 18h27Por Eduardo Rodrigues

Enquanto os presidentes da República, Jair Bolsonaro, e da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), continuaram trocando farpas em declarações à imprensa neste sábado, o secretário especial de Previdência e Trabalho, Rogério Marinho, continua tentando apaziguar as relações entre o Executivo e o Legislativo. "Estamos todos ajudando a distensionar", disse Marinho na tarde deste sábado.

O ex-deputado foi escalado pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, como o cara do governo para a reforma da Previdência justamente pela habilidade de negociação política que Marinho demonstrou ao relatar a reforma trabalhista aprovada em 2017 no governo Temer.

As alfinetadas entre Maia e Bolsonaro - além do entorno do presidente, como seu filho Carlos - durante toda a semana ampliaram o temor do mercado sobre a desarticulação política do Planalto com o Parlamento, que poderia colocar em risco a aprovação da reforma previdenciária.

De acordo com o jornal O Globo, Marinho disse a empresários em um evento neste sábado no Guarujá (SP) que o "mundo caiu" na sexta-feira, após a elevação do tom das críticas cruzadas entre Bolsonaro e Maia. No evento, o secretário admitiu que o processo de negociação sobre a reforma "deu uma degringolada".

Premix Concreto

Matérias Relacionadas

Economia

Banco do Brasil oferece prova de vida do INSS por aplicativo

Ferramenta diminui comparecimento às agências
Banco do Brasil oferece prova de vida do INSS por aplicativo
Geral

Contribuinte pode destinar parte do IR para projetos sociais de Guaramirim

Todas as pessoas físicas podem fazer doações de recursos financeiros aos Fundos Municipais
Contribuinte pode destinar parte do IR para projetos sociais de Guaramirim
Economia

Aumento da gasolina também causa impacto no preço do etanol

Álcool acumula aumento de 21% desde janeiro
Aumento da gasolina também causa impacto no preço do etanol
Economia

Indústria brasileira cresce 0,4% de dezembro para janeiro

Setor teve expansão de 0,8% na média móvel trimestral
Indústria brasileira cresce 0,4% de dezembro para janeiro
Ver mais de Economia