caragua
caragua mobile
ECONOMIA

Santander Brasil: lucro líquido gerencial vai a R$ 3,485 bi no 1º tri (+ 21,9%)

30 Abr 2019 - 09h46Por Aline Bronzati, com colaboração de Célia Froufe, correspondente

O Santander Brasil apresentou lucro líquido gerencial, que não considera ágio de aquisições, de R$ 3,485 bilhões no primeiro trimestre do ano, cifra 21,9% maior do que no mesmo período do ano passado, de R$ 2,859 bilhões. Ante os três meses anteriores, quando foi de R$ 3,405 bilhões, o lucro cresceu 2,3%.

Com tal resultado, a filial brasileira contribuiu com 29% do desempenho de todo o grupo no período, de acordo com dados divulgados pela matriz espanhola na manhã desta terça-feira, 30, na Europa. Com a nova marca, o Brasil avança como a maior fonte de ganhos para o grupo. Ao longo do ano passado, a fatia de lucro gerada no Brasil para o Santander havia sido de 26%.

O Santander destaca, em relatório que acompanha suas demonstrações financeiras, que no primeiro trimestre de 2019 conseguiu manter a recorrência na geração de resultados com "destacada rentabilidade". "A base de clientes cresce consistentemente, a partir da melhora do atendimento aos nossos clientes, o que nos proporciona ganhos rentáveis de participação de mercado", enfatiza o banco, no documento.

Ao final de março, a carteira de crédito ampliada do Santander Brasil somava R$ 386,904 bilhões, montante praticamente estável considerando o saldo de dezembro, de R$ 386,736 bilhões. Em um ano, porém, quando os empréstimos somavam R$ 353,920 bilhões, teve alta de 9,3%. O crescimento foi puxado, principalmente, pela pessoa física, com avanço de 20,1% em um ano e de 3,0% no trimestre.

Em contrapartida, o crédito às grandes empresas encolheu 3,6% no primeiro trimestre ante os três meses anteriores e ficou estável no comparativo anual. Na pequena e média empresa, o Santander Brasil viu seus empréstimos crescerem 8,7% e 0,2%, respectivamente.

O Santander Brasil encerrou março com R$ 803,679 bilhões em ativos totais, cifra 11,0% maior em um ano, de R$ 724,348 bilhões. Ante os três meses anteriores teve leve redução de 0,3%.

O patrimônio líquido do banco somou R$ 67,605 bilhões de janeiro a março, crescimento de 10,1% ante o mesmo intervalo de 2018, quando estava em R$ 61,384 bilhões. Em relação aos três meses imediatamente anteriores, aumentou 4,7%.

A rentabilidade do Santander, medida pelo ROE, ficou em 21,1% no primeiro trimestre, estável ante o trimestre anterior e mantendo o banco como o segundo mais rentável do Brasil. Em um ano, cresceu 2,0 pontos porcentuais.

O resultado do Santander Brasil com ajustes - lucro líquido societário - somou R$ 3,415 bilhões no primeiro trimestre, aumento de 21,1% em um ano, de R$ 2,820 bilhões. Ante os três meses anteriores, de R$ 3,336 bilhões, a alta foi de 2,4%. Dentre as diferenças entre o lucro gerencial e o societário, conforme o banco, está uma despesa de amortização de ágio no valor de R$ 70 milhões.

caragua mobile

Matérias Relacionadas

Economia

Ministério da Agricultura descarta novos casos de doença aviária no RS

Um foco da Doença de Newcastle foi identificado em granja comercial
Ministério da Agricultura descarta novos casos de doença aviária no RS
Economia

Brasil suspende exportações de carne e produtos de aves

Medida preventiva tomada após confirmação de foco de doença no RS
Brasil suspende exportações de carne e produtos de aves
Geral

Agência da Celesc retoma atividades nesta sexta-feira em Jaraguá do Sul

Estatal emite nota e lamenta paralisação ter afetado as lojas de atendimento
Agência da Celesc retoma atividades nesta sexta-feira em Jaraguá do Sul
Mundo

Apagão cibernético afeta sistemas bancários, mídia, aeroportos e telecomunicações

No Brasil, clientes de alguns bancos não conseguiram acessar suas contas
Apagão cibernético afeta sistemas bancários, mídia, aeroportos e telecomunicações
Ver mais de Economia