ECONOMIA

Risco de piora do cenário político comprometer reformas faz juros subirem

16 Mai 2019 - 19h26Por Denise Abarca

Inseridos no contexto de piora generalizada dos mercados domésticos à tarde, os juros ampliaram a alta que já predominava desde manhã e renovaram máximas na reta final da sessão regular desta quinta-feira, 16. O alerta da Vale sobre o risco de rompimento de mais uma barragem, aparentemente, foi o estopim do movimento, mas, no caso da renda fixa o mercado aproveitou para ampliar sua postura defensiva ante a deterioração do risco político.

O dólar renovou máximas até R$ 4,0416 e levou os juros a buscarem novos patamares nos principais vencimentos e não somente os longos, que são os que normalmente mais se ressentem da piora do risco político. Ainda que em menor intensidade, a ponta curta também subiu, diante do risco das incertezas inviabilizarem a possibilidade de afrouxamento monetário no curto prazo. De todo modo, as taxas longas encerraram a sessão regular com avanço de cerca de 10 pontos-base. A taxa do contrato de Depósito Interfinanceiro (DI) para janeiro de 2020 subiu de 6,395% para 6,4360% e a do DI para janeiro de 2021, em 6,92%, de 6,841%. A taxa do DI para janeiro de 2023 terminou em 8,12% (máxima), de 8,002%, e a do DI para janeiro de 2025 fechou a 8,72%, ante 8,61%.

"É a sequência de eventos negativos para o governo, como os protestos, a forma desastrada com que estão lidando com isso, entre outros assuntos, o que tem abalando a confiança do mercado", disse o estrategista-chefe da CA Indosuez Brasil, Vladimir Caramaschi.

Nos últimos dias, esta sequência reduziu a expectativa do mercado em relação à aprovação da reforma da Previdência ainda este ano e de um texto com uma potência fiscal acima de R$ 700 bilhões para ter efeito nas contas públicas.

As agências de classificação de risco, por sua vez, já vão dando seus alertas sobre a urgência das reformas e demonstrando preocupação com a fraqueza da economia, que pode ameaçar as notas de crédito do País. O diretor executivo da Fitch Ratings para Brasil e Cone Sul, Rafael Guedes, afirmou que a Previdência, sozinha, não vai resolver os problemas do País. "Sem crescimento, o perfil de risco do Brasil vai continuar sendo muito fraco ", afirmou. Já o chefe de análise de risco soberano da Moody's para a América Latina, Mauro Leos, disse em entrevista ao Broadcast, sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado, que a aprovação da reforma não significa um carimbo no passaporte para o crescimento do PIB. A relação inversa, no entanto - a de que, sem reforma, haverá impacto na economia - pode ser verdadeira.

Na política, além de possíveis consequências da questão envolvendo o senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), filho do presidente Jair Bolsonaro, o mercado vê com preocupação a maneira como o governo tem tratado as manifestações de quarta. Apesar da alta temperatura interna, o presidente Jair Bolsonaro, nos Estados Unidos, recebia, nesta tarde, o prêmio personalidade do ano da Câmara de Comércio Brasil-EUA. Pouco antes do evento, afirmou que "o que foi feito no Brasil ontem é uma passeata 'Lula Livre'".

"A boa capacidade de mobilização dos estudantes é algo que o governo não devia ter subestimado, e com um novo protesto sendo organizado pela UNE (União Nacional dos Estudantes) para o dia 30 deste mês, o governo deve se mobilizar para que ele não tome as mesmas proporções", diz a Guide, em relatório.

Matérias Relacionadas

Economia

Governo defende reformas após a pandemia para recuperar o PIB

Ministério da Economia também pede manutenção do teto de gastos
Governo defende reformas após a pandemia para recuperar o PIB
Economia

Beneficiários do auxílio emergencial podem pagar compras via celular

A Caixa Econômica Federal liberou uma atualização do aplicativo Caixa Tem que permite o pagamento por meio de código QR
Beneficiários do auxílio emergencial podem pagar compras via celular
Economia

Agências da Caixa abrem neste sábado para atendimento aos beneficiários do Auxílio Emergencial

Em Jaraguá do Sul, a agência da Rua Gumercindo da Silva estará aberta faz 8h às 12h.
Agências da Caixa abrem neste sábado para atendimento aos beneficiários do Auxílio Emergencial
Economia

Prefeitura presta conta das metas fiscais do 1° quadrimestre

A arrecadação com ICMS que era de R$ 14 milhões em março, caiu para R$ 10,8 milhões em abril.
Prefeitura presta conta das metas fiscais do 1° quadrimestre
Ver mais de Economia