Dia internacional das Mulheres
ECONOMIA

‘Reforma da Previdência pode mudar o cenário’

18 Fev 2019 - 09h30Por Ana Carolina Neira

Após um turbulento período eleitoral que deixou investidores em compasso de espera, o sócio e gestor da Garde Asset Management, Marcelo Giufrida, assume uma visão otimista em relação aos mercados neste início de ano. Porém, ele avisa: o bom clima tem prazo, a depender da reforma da Previdência, que pode ditar como serão os próximos meses do mercado. Em entrevista ao Estado, ele aponta a medida como o divisor de águas do que está por vir.

A Bolsa brasileira vem se aproximando do patamar dos 100 mil pontos, nível nunca antes alcançado. Ainda está barata?
Depende do cenário. Se ele for de reformas aprovadas, com a Previdência antes de tudo e outras mudanças na sequência, está barata. Sem as reformas, em uma visão mais pessimista, isso muda e a Bolsa ficaria cara. Porém, ainda assim, diria que está com um preço "ok".

Como o cenário global pode influenciar nos investimentos?
Tivemos uma economia com baixa volatilidade e pouca liquidez nos últimos 10 anos (no mundo) e agora estamos voltando ao normal. Os bancos centrais não serão os únicos a prover liquidez e o mercado terá de encontrá-la. Com os juros voltando ao normal, isso acaba sendo um desafio. O mercado terá de aprender a reagir ao ambiente.

Para o investidor, o que isso significa?
Esse cenário já é difícil para o investidor profissional, mas para o investidor que tem menos recursos é ainda pior. Se alguém tem aversão ao risco deve prestar atenção, talvez buscar uma carteira mais adequada a essa expectativa. Não existe fórmula mágica. De maneira geral, é saber organizar o que é investimento para curto, médio e longo prazos, compondo portfólios que mesclem renda fixa e variável.

Como deve ser o comportamento do investidor estrangeiro na Bolsa?
Isso é um enigma. No final de 2018 o mercado estava assustado com o período eleitoral. Agora há um certo ceticismo sobre a equipe econômica do presidente Jair Bolsonaro. Há uma tendência de que as reformas serão feitas, mas ninguém tem certeza. Fato é que a reforma da Previdência virou o "cabo da boa esperança". Se ela for aprovada, haverá espaço para outras mudanças. Mas, sem essa reforma, as outras não adiantam.

O Brasil deve recuperar o grau de investimento?
Acho que esse é um tema para longo prazo. O aumento do grau de investimento será reflexo da realização de outros processos.

Como a aprovação da reforma da Previdência?
Sim, ela é a primeira e mais importante de todas, que destrava o pavimento para as demais mudanças.

O sr. acha que o governo consegue aprová-la?
A reforma da Previdência não é um assunto novo e estamos em uma rodada mais focada de discussões. Além disso, o parlamento também está mais aberto para fazer uma reforma mais ampla. Considero que o assunto esteja suficientemente maduro para aprovação.

No mercado, há investidores que acreditam que o dólar vai terminar o ano abaixo de R$ 3,60. Qual seu palpite?
Pelas nossas avaliações, o dólar está um pouco alto hoje e acreditamos que poderia estar um pouco mais baixo do que está hoje. Até o fim do ano muita coisa vai acontecer no cenário político-econômico, mas se a reforma da Previdência for aprovada, o dólar tende a cair um pouco.

Qual a projeção da Garde para a Selic?
Acredito que até o primeiro trimestre do ano que vem ela deve seguir como está.

Premix Concreto

Matérias Relacionadas

Economia

Arrecadação catarinense cresce 5,7% em fevereiro

Somente com ICMS, a soma foi de R$ 2,22 bilhões, de acordo com os dados divulgados pela Secretaria de Estado da Fazenda (SEF/SC) nesta quinta-feira (4)
Arrecadação catarinense cresce 5,7% em fevereiro
Economia

IPTU 2021 vence dia 10 de março em Jaraguá

Quem optar pelo pagamento a vista terá desconto de 10%
Política

Licitação para reforma da escola Albano Kanzler deve ser lançada em 30 dias

Obra é aguardada há 20 anos pela comunidade
Licitação para reforma da escola Albano Kanzler deve ser lançada em 30 dias
Economia

Transporte rodoviário tem novo piso mínimo de frete

Tabela foi publicada hoje no Diário Oficial da União
Transporte rodoviário tem novo piso mínimo de frete
Ver mais de Economia