vacina
ECONOMIA

Recuperação externa permite alta do Ibovespa, mas cenário político exige cautela

14 Mai 2019 - 12h39Por Maria Regina Silva

A recuperação dos mercados acionários no exterior após o recuo acentuado da véspera depois das palavras consideradas apaziguadoras do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, atingiu o Ibovespa no início dos negócios desta terça-feira, 14. O índice chegou a superar os 92 mil pontos.

Na segunda-feira, 13, em meio ao impasse comercial entre EUA e China fechou com queda de 2,69%, aos 91.726,54 pontos, na menor pontuação desde 7 de janeiro. A despeito da valorização firme em Nova York, o principal índice à vista da B3 desacelerava os ganhos.

Às 11h31, subia 0,21%, de volta aos 91 mil pontos (91.921,14 pontos).

As declarações mais otimistas de Trump sobre as perspectivas de acordo mais adiante com Pequim aliviam um pouco os mercados hoje. O presidente disse esperar negociações bem-sucedidas com a China. "A mensagem indica que no momento certo, o acordo avançará", diz uma fonte.

Entretanto, para alguns participantes do mercado, o noticiário político envolvendo Flávio Bolsonaro, filho do presidente da República, intimida os ganhos na Bolsa brasileira.

"A sensação é que o cenário externo pesa mais. Porém, a notícia interna, que envolve o filho de Bolsonaro, pode ter alguma influência negativa, atingir a imagem do governo, e contaminar os mercados pontualmente. No entanto, ele apenas é um senador", minimiza um operador.

A Justiça do Rio autorizou a quebra de sigilo bancário e fiscal do senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) e de seu ex-assessor na Assembleia Legislativa do Estado (Alerj), Fabrício Queiroz, segundo informou ontem o jornal O Globo em seu site.

Além disso, acrescenta a fonte, a citação do nome do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), em acordo de colaboração premiada de Henrique Constantino, um dos donos da Gol Linhas Aéreas, como recebedor de "benefício financeiro" por meio da Associação Brasileira de Empresas Aéreas (Abear), também é acompanhada com atenção.

"O Rodrigo Maia é um nome fundamental na articulação da reforma da Previdência, é um dos pilares", observa o analista Matheus Amaral, da Toro Investimentos. Em viagem a Nova York para a 9ª Edição do evento Brazil and de World Economy, o presidente da Câmara disse não conhecer Constantino.

O desempenho mais fraco da atividade brasileira no começo deste ano, como tem reforçado os indicadores do primeiro trimestre - hoje foi a vez do volume de serviços - foi reforçado na ata do Comitê de Política Monetária (Copom) da semana passada, quando a Selic foi mantida em 6,5%.

Apesar de reconhecer que o Produto Interno Bruto (PIB) do primeiro trimestre pode ficar negativo e de excluir a palavra 'cautela' da ata, o Banco Central (BC) pondera que essa exclusão não deve ser interpretada como mudança na condução da política monetária. Neste sentido, alguns entendem que a taxa Selic pode permanecer em 6,5%, sem ensejar queda, por ora.

Matérias Relacionadas

Economia

Responsável por 3,7% do PIB, setor de defesa é oportunidade para indústria de SC

Responsável por 3,7% do PIB, setor de defesa é oportunidade para indústria de SC
Geral

Senado aprova suspensão da dívida do RS com a União por três anos

Estado poderá direcionar R$ 23 bilhões para reconstrução
Senado aprova suspensão da dívida do RS com a União por três anos
Política

Governo indica Magda Chambriard para presidência da Petrobras

Ela substituirá Jean Paul Prates que pediu saída antecipada
Governo indica Magda Chambriard para presidência da Petrobras
Geral

Cresol promove Semana Nacional de Educação Financeira na região

Tema central será a Proteção Financeira, com foco em formas de o consumidor se prevenir contra golpes e fraudes financeiras.
Cresol promove Semana Nacional de Educação Financeira na região
Ver mais de Economia