Joaçaba Pneus
ECONOMIA

Presidente do Solidariedade diz que governo não tem base para aprovar reforma

20 Fev 2019 - 12h00Por Camila Turtelli e Julia Lindner

Apesar de considerar importante o gesto de Jair Bolsonaro de ir até a Câmara dos Deputados, o presidente do Solidariedade, Paulinho da Força (SP), afirmou que o governo não tem base aliada no Congresso Nacional suficiente para passar a reforma da Previdência. "O governo não tem base nenhuma aqui. Ontem, ficou provado que a base do governo aqui não existe. O governo tem de reconstruir a base", disse Paulinho.

Na sessão realizada na terça-feira, insatisfeitos com a falta de interlocução com o Palácio do Planalto, deputados impuseram a primeira derrota ao governo na Câmara. Eles aprovaram um projeto que susta os efeitos do decreto editado pelo vice-presidente Hamilton Mourão em janeiro que ampliou a funcionários comissionados e de segundo escalão o poder de impor sigilo a documentos públicos. A votação foi simbólica. O texto segue agora para análise do Senado.

Para o presidente do Solidariedade, Bolsonaro precisa mudar sua forma de articular para avançar. "Esse modelo que Bolsonaro inventou de que negocia com bancadas, não tem funcionado nesses primeiros 20 dias de Congresso. Espero que ele mude essa posição para que possamos ter um dialogo mais direto com ele", disse.

Paulinho afirmou que, ainda assim, a vinda de Bolsonaro ao Congresso é uma sinalização importante. "Mostra que ele está disposto a dialogar. É preciso ter diálogo", disse. Ele, no entanto, voltou a afirmar que já prepara emendas para a Nova Previdência, em relação à idade mínima e tempo de transição.

Premix Concreto

Matérias Relacionadas

Economia

Rede catarinense Havan inaugura 160ª filial

Esta é a primeira loja da rede no estado sergipano. Atualmente, a Havan está presente em 18 estados brasileiros, mais o Distrito Federal
Rede catarinense Havan inaugura 160ª filial
Economia

Decisão sobre reajuste de bandeiras tarifárias deve sair até o dia 30

Aumento pode passar de 20%, diz diretor da Aneel
Decisão sobre reajuste de bandeiras tarifárias deve sair até o dia 30
Economia

Caixa antecipa pagamento de terceira parcela do auxílio emergencial

Novo calendário começa nesta sexta-feira, para nascidos em janeiro
Caixa antecipa pagamento de terceira parcela do auxílio emergencial
Economia

FIESC defende redução temporária do imposto de importação do aço

O insumo teve alta superior a 100% em 12 meses e tem impactado diversos setores, principalmente a construção e o metalmecânico
FIESC defende redução temporária do imposto de importação do aço
Ver mais de Economia