transito
ECONOMIA

Preços de bens de capital sobem 0,23% no IPP de fevereiro, diz IBGE

16 Abr 2019 - 11h22Por Daniela Amorim

Os bens de capital ficaram 0,23% mais caros na porta de fábrica em fevereiro, segundo os dados do Índice de Preços ao Produtor (IPP), que inclui a indústria extrativa e de transformação, divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O resultado ocorre após os preços terem aumentado 0,52% em janeiro.

Os bens intermediários registraram elevação de 0,64% nos preços em fevereiro, ante uma queda de 1,27% em janeiro.

Já os preços dos bens de consumo subiram 0,16% em fevereiro, depois de uma diminuição de 0,25% em janeiro. Dentro dos bens de consumo, os bens duráveis tiveram alta de 0,18% em fevereiro, ante aumento de 1,42% no mês anterior. Os bens de consumo semiduráveis e não duráveis avançaram 0,16% em fevereiro, após a redução de 0,61% registrada em janeiro.

A alta de 0,43% do IPP em fevereiro teve contribuição de 0,02 ponto porcentual de bens de capital; 0,35 ponto porcentual de bens intermediários; e 0,06 ponto porcentual de bens de consumo, sendo 0,05 ponto porcentual dos bens de consumo semiduráveis e não duráveis e 0,01 ponto porcentual dos bens de consumo duráveis.

O IBGE atualizou a amostra e as ponderações do IPP com base nos dados da última Pesquisa Industrial Anual (PIA), referente a 2016. A nova estrutura passa a investigar 416 produtos em cerca de 2.070 empresas.

A amostra anterior é composta por 324 produtos provenientes de 1.400 empresas. Como o IPP é um índice de preços, não houve mudanças na série histórica.

Matérias Relacionadas

Economia

Receita abre consulta a maior lote de restituição do IR da história

Cerca de 5,6 milhões de contribuintes receberão R$ 9,5 bilhões
Receita abre consulta a maior lote de restituição do IR da história
Economia

Intenção de Consumo das Famílias avança 1,3% em maio

Esse é o segundo resultado positivo consecutivo, apurado pela CNC
Intenção de Consumo das Famílias avança 1,3% em maio
Santa Catarina

Celesc emite comunicado sobre erros nas faturas de energia

Implantação do novo sistema comercial teria apresentado instabilidade
Celesc emite comunicado sobre erros nas faturas de energia
Economia

Responsável por 3,7% do PIB, setor de defesa é oportunidade para indústria de SC

Responsável por 3,7% do PIB, setor de defesa é oportunidade para indústria de SC
Ver mais de Economia