dengue
ECONOMIA

Porta-voz: governo sabe que enfrentará ainda fortes resistências à reforma

23 Abr 2019 - 20h05Por Felipe Frazão

O porta-voz da Presidência da República, general Rêgo Barros, afirmou nesta terça-feira, 23, que o governo Jair Bolsonaro espera mais resistências à aprovação da PEC (proposta de emenda à Constituição) da reforma da Previdência no Congresso. A base de Bolsonaro tenta votar nesta terça um parecer favorável à PEC na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara dos Deputados.

"O presidente acredita que a votação da admissibilidade da PEC da Nova Previdência na CCJ é mais um passo na difícil trajetória de mudar o País", afirmou. "O governo sabe que enfrentará ainda fortes resistências corporativas e políticas, mas essa pauta transcende a questão de governo. Estamos convencidos de que eventuais sacrifícios serão transformados em benefícios duradouros para gerações que venham a suceder-nos."

Em declaração à imprensa, o porta-voz afirmou que o presidente agradeceu aos envolvidos na elaboração da reforma, no governo e no Congresso. O trabalho da equipe econômica foi classificado como "exímio" por Rêgo Barros.

Segundo o general, Bolsonaro não vai realizar pronunciamento em cadeia nacional de televisão.

Matérias Relacionadas

Economia

Mercado eleva previsão da inflação de 3,8% para 3,86% em 2024

Projeção de expansão da economia está 2,05% este ano.
Mercado eleva previsão da inflação de 3,8% para 3,86% em 2024
Economia

Após chuvas, Gramado tem mais de 500 hotéis e restaurantes fechados

Temporais e deslizamentos deixaram 1 mil desabrigados
Após chuvas, Gramado tem mais de 500 hotéis e restaurantes fechados
Política

Modal ferroviário é tema de debate na Assembleia Legislativa de Santa Catarina

Encontro foi proposto pelo deputado Antídio Lunelli, presidente da Comissão de Transportes e Desenvolvimento Urbano da Alesc
Modal ferroviário é tema de debate na Assembleia Legislativa de Santa Catarina
Economia

Retrocesso econômico e revogação da desoneração da folha

O governo gasta mal e pretende economizar da pior forma ao atingir o próprio desenvolvimento com perspectiva de demissões
Retrocesso econômico e revogação da desoneração da folha
Ver mais de Economia