Delivery Much
ECONOMIA

Porta-voz diz que Bolsonaro não vê motivos para uma greve de caminhoneiros

22 Abr 2019 - 20h09Por Felipe Frazão, Mariana Haubert e Tânia Monteiro

O porta-voz da Presidência da República, general Rêgo Barros, afirmou que o presidente Jair Bolsonaro não vê motivo para uma nova greve geral de caminhoneiros. Na semana passada, líderes dos autônomos, insatisfeitos com o pacote anunciado pelo governo federal e com o aumento de 10 centavos no preço do diesel, agendaram uma paralisação para o dia 29 de abril. Antes, eles esperavam por ações de Bolsonaro até 21 de maio.

"A expectativa do governo do presidente Jair Bolsonaro, que mantém diuturnamente canal de ligação aberto com a categoria, é de que não há motivos para essa paralisação", disse Rêgo Barros.

O Gabinete de Segurança Institucional acompanhou a mobilização e fez análises de risco. Conforme o militar, o presidente está confiante de que não haverá paralisação por parte dos caminhoneiros, como decidido por parte da categoria na semana passada.

O general disse que o governo atua de forma proativa no gerenciamento da situação e fez referência ao patriotismo dos caminhoneiros. "Com base nesse espírito patriótico o presidente, somando-se ao acompanhamento realizado por outros órgãos do governo, entende que no momento as condições para estabelecimento dessa parada não se fazem presentes", relatou o porta-voz.

O porta-voz disse que o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Freitas, dialoga com o setor para estabelecer e fiscalizar uma nova tabela do frete, outro pedido da categoria.

Premix Concreto

Matérias Relacionadas

Economia

Nascidos em outubro podem sacar auxílio emergencial a partir de hoje

Serão beneficiadas 3,5 milhões de pessoas
Nascidos em outubro podem sacar auxílio emergencial a partir de hoje
Economia

Mega-Sena acumula e prêmio vai para R$ 22 milhões

A quina teve 75 ganhadores, com prêmio individual de R$ 32.688,93
Mega-Sena acumula e prêmio vai para R$ 22 milhões
Economia

Copom mantém juros básicos da economia em 2% ao ano

Apesar de alta na inflação, BC decidiu não mexer na Selic
Copom mantém juros básicos da economia em 2% ao ano
Economia

Copom deve manter juros básicos em 2% ao ano, dizem analistas

Resultado da reunião será divulgado no fim da tarde
Ver mais de Economia