ECONOMIA

PLDO 2020 prevê déficit primário de R$ 68,5 bi em 2021 no Governo Central

15 Abr 2019 - 16h45Por Lorenna Rodrigues

A projeção de déficit primário do Governo Central em 2021 passou de R$ 70,0 bilhões para R$ 68,5 bilhões, de acordo com o Projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias (PLDO) de 2020, divulgado pelo Ministério da Economia. Isso equivale a 0,81% do PIB do projetado para o ano.

A projeção para o déficit das estatais federais foi mantida em R$ 4,0 bilhões para 2021, enquanto o superávit primário de Estados e municípios passou de R$ 17,5 bilhões para R$ 7,3 bilhões.

Com isso, o déficit estimado para o setor público aumentou, passando de R$ 56,5 bilhões para R$ 65,3 bilhões.

Para 2022, o governo prevê um déficit primário do setor público de R$ 30,3 bilhões, resultado de um déficit de R$ 31,4 bilhões do Governo Central, um saldo negativo de R$ 4,2 bilhões das estatais federais e um superávit primário de R$ 5,3 bilhões de Estados e municípios.

Matérias Relacionadas

Economia

Servidores públicos de SC recebem a antecipação de metade do 13º salário

Conforme a Secretaria de Estado da Fazenda o valor coloca R$ 648 milhões extras na economia catarinense
Servidores públicos de SC recebem a antecipação de metade do 13º salário
Economia

SC é o estado com mais trabalhadores formais entre a população economicamente ativa

A informação está no Ranking de Competitividade dos Estados (CLP) que utiliza dados do IBGE
SC é o estado com mais trabalhadores formais entre a população economicamente ativa
Economia

WEG paga participação nos lucros em agosto

Com mais de 40 mil funcionários em todo o mundo, a empresa jaraguaense teve lucro líquido de R$ 1,327 bilhão no primeiro trimestre de 2024 (1T24)
WEG paga participação nos lucros em agosto
Economia

WEG fornece a primeira subestação móvel digital no mercado brasileiro

A solução destinada ao uso no sistema elétrico da Energisa Rondônia possibilita o monitoramento, controle e automatização de operações em tempo real
WEG fornece a primeira subestação móvel digital no mercado brasileiro
Ver mais de Economia