IBGE

PIB cresce 1,1% pelo segundo ano seguido e fecha 2018 em R$ 6,8 trilhões

Resultado repetiu a alta de 1,1% em 2017, que interrompeu dois anos seguidos de queda

04 Mar 2019 - 12h00Por IBGE
PIB cresce 1,1% pelo segundo ano seguido e fecha 2018 em R$ 6,8 trilhões - Crédito: Divulgação / Pixabay Crédito: Divulgação / Pixabay

O Produto Interno Bruto (PIB), divulgado hoje pelo IBGE, fechou 2018 com crescimento de 1,1%, totalizando R$ 6,8 trilhões. O resultado repetiu a alta de 1,1% em 2017, que interrompeu dois anos seguidos de queda. O PIB per capita variou 0,3% em termos reais, alcançando R$ 32.747 em 2018.

O setor de serviços, que responde por 75,8% do PIB, cresceu 1,3% em 2018, e foi o que mais contribuiu para o avanço da economia, ao registrar taxas positivas em todas as sete atividades pesquisadas. Atividades imobiliárias, que cresceram 3,1%, e comércio, 2,3%, foram os ramos que mais influenciaram o desempenho do setor.

“Essas atividades foram beneficiadas por um mercado mais estabilizado, aliado à inflação mais controlada e pelo desemprego ligeiramente menor que o do ano passado”, resumiu a gerente de Contas Nacionais do IBGE, Cláudia Dionísio.

A agropecuária se manteve praticamente estável, com variação de 0,1% em relação a 2017. Já a indústria cresceu 0,6%, após quatro anos seguidos de quedas. A atividade de eletricidade e gás, água, esgoto e gestão de resíduos, que subiu 2,3%, foi a que mais influenciou o resultado, enquanto a construção, com -2,5%, caiu pelo quinto ano consecutivo.

“Mesmo com a estabilidade, pode-se dizer que a agropecuária teve um resultado expressivo, uma vez que em 2017 foi o ano de safra recorde. A indústria, por sua vez, vem mostrando sinais de recuperação, embora tenha sido prejudicada por quedas nas demandas por exportação e na indústria da construção”, comenta a gerente.

Frente ao terceiro trimestre de 2018, o PIB variou 0,1%, registrando o oitavo resultado positivo consecutivo nesta comparação. Em relação ao mesmo trimestre de 2017, houve alta de 1,1%.

Investimento e poupança aumentam em 2018

A taxa de investimento subiu de 15% em 2017 para 15,8% em 2018. Da mesma forma, a taxa de poupança passou de 14,3% em 2017 para 14,5% em 2018, totalizando R$ 993,3 bilhões.

A despesa de consumo das famílias cresceu 1,9% em relação a 2017, explicado por fatores como comportamento dos indicadores de inflação, juros, crédito, emprego e renda ao longo do ano. A despesa do consumo do governo, por sua vez, ficou estável.


Quer ser o primeiro a saber das notícias de Jaraguá do Sul e Região? CLIQUE AQUI e receba direto no seu WhatsApp!

Premix Concreto

Matérias Relacionadas

Economia

Lojas de Jaraguá ficam abertas até 17h neste sábado

Segundo Talita Beber, presidente da CDL Jaraguá do Sul, o comércio local está preparado com promoções, ações de vendas casadas e, com foco na segurança por causa da pandemia
Lojas de Jaraguá ficam abertas até 17h neste sábado
Economia

Governo do Estado institui o Auxílio Catarina

Benefício emergencial será destinado a mais de 60 mil famílias em situação de vulnerabilidade social e econômica no estado
Governo do Estado institui o Auxílio Catarina
Economia

Governo do Estado propõe auxílio emergencial para amenizar efeitos da pandemia

O investimento do Executivo será superior a R$ 37 milhões, com recursos já garantidos no orçamento
Governo do Estado propõe auxílio emergencial para amenizar efeitos da pandemia
Economia

Sicredi disponibiliza opção de pagamentos no WhatsApp

Instituição financeira cooperativa oferece nova opção de transferência para os associados por meio de parceria com o Facebook
Sicredi disponibiliza opção de pagamentos no WhatsApp
Ver mais de Economia