ECONOMIA

Orçamento dos EUA para 2020 baseia-se em expectativa de alto crescimento

09 Mar 2019 - 17h18

A proposta de orçamento da Casa Branca para o ano fiscal de 2020 trabalha com um cenário em que a economia americana continuará se expandindo no ritmo de 2018, quando a reforma tributária e o aumento dos gastos do governo impulsionaram o Produto Interno Bruto (PIB).

O Wall Street Journal teve acesso a uma prévia do material que será publicado pelo governo na segunda-feira e, nela, está projetado um crescimento para o ano que vem muito maior do que a previsão de muitos analistas. Para eles, neste ano veremos a economia desacelerar neste ano, conforme os efeitos do estímulo fiscal se dissipam. O governo Trump, que acertou suas projeções para 2018, espera que a desregulamentação e mudanças no código tributário vão manter o ritmo da expansão neste ano.

A Casa Branca estima crescimento de cerca de 3% por ano na próxima década, mas com um impulso maior no curto prazo, com a produção subindo 3,2% neste ano e 3,1% em 2020. Para 2021, a projeção de crescimento é de 3,0% e para 2026 de 2,8%.

No quarto trimestre, a economia americana cresceu 3,1% na comparação anual, a taxa mais alta em quase quatro anos e em linha com as projeções da proposta de orçamento de Trump do ano passado.

"Basicamente, o modelo que fizemos para o ano passado acertou em cheio", disse Kevin Hassett, presidente do Conselho de Assessores Econômicos da Casa Branca. "Então nós achamos que esses modelos ainda são o melhor indicador do que deve acontecer no futuro".

Gastos mais altos dos consumidores e investimento robusto das empresas em 2018 ajudou a economia a ter um de seus melhores anos na expansão de uma década, graças ao corte de US$ 1,5 trilhão de impostos e um mercado de trabalho saudável. Um acordo de dois anos para aumentar os gastos do governo em quase US$ 300 bilhões também deu gás ao crescimento no ano passado.

Muitos economistas veem esses efeitos arrefecendo em 2019. O J.P. Morgan prevê crescimento de 1,8% neste ano. Já a High Frequency Economics disse na quinta-feira que projeta alta de 2,4%.

Já Andy Laperriere, analista da Cornerstone Macro, disse que é possível que o crescimento continue no mesmo ritmo em 2019 - a empresa calcula PIB de 2,8% neste ano -, mas ele tem dúvidas se isso pode se sustentar na próxima década.

Hassett observou que as previsões alternativas são baseadas em pressupostos diferentes do orçamento do presidente, que projeta o que aconteceria se as propostas do governo se tornassem lei. Sem essas mudanças, a economia cresceria a uma taxa de cerca de 2% este ano, segundo ele.

O governo espera que as mudanças no código tributário promulgadas em 2017, incluindo taxas mais baixas para corporações e mudanças nas regras tributárias para empresas, continuem a impulsionar o crescimento, incentivando as companhias a aumentar sua capacidade nos próximos anos, disse Hassett.

Depois disso, a capacidade aumentada levará a uma produção maior, segundo Hassett, impulsionando o crescimento na segunda metade da projeção de 10 anos do governo. Fonte: Dow Jones Newswires.

Premix Concreto

Matérias Relacionadas

Economia

Prazo para entregar declaração do Imposto de Renda começa hoje

Receita espera receber 32,6 mi de declarações até 30 de abril
Prazo para entregar declaração do Imposto de Renda começa hoje

Mega-Sena sai para um apostador que ganha 49 milhões

Próximo sorteio será quarta-feira
Saúde

Entidades empresariais manifestam apoio ao decreto do Governo do Estado

Saúde

Jaraguá terá novas medidas contra covid-19 a partir de 1º de março

Medida terá validade por 15 dias
Jaraguá terá novas medidas contra covid-19 a partir de 1º de março
Ver mais de Economia