Delivery Much
ECONOMIA

Na Indonésia, Tereza Cristina pede resposta a pedido de exportação de carne

20 Mai 2019 - 13h47

A ministra da Agricultura, Tereza Cristina, em reunião com o ministro da Agricultura indonésio, Amran Sulaiman, reforçou o pedido para que os indonésios mandem os relatórios da visita aos frigoríficos brasileiros, feita no ano passado. Ela relatou que o Brasil pode ser fornecedor de carne de qualidade para a Indonésia. A carne brasileira é uma alternativa à australiana e mais barata, informa o ministério, pelo Twitter.

Amran Sulaiman, por sua vez, pediu à ministra redução das tarifas de óleo de palma e frutas especiais. A Indonésia é o único exportador de palma para o Brasil e esse ajuste beneficiará os produtores indonésios. Ministra disse que levará demanda para o governo federal.

A ministra e Amran Sulaiman também trataram de cooperação na agropecuária. Tereza Cristina ofereceu os trabalhos da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) para organizar os projetos de cooperação.

Na Câmara de Comércio e Indústria na Indonésia (Kadin), a missão brasileira reuniu-se com exportadores de óleo de palma, borracha, frutas e chá. Eles se ofereceram para acertar questões sobre a venda de carnes halal brasileira para a Indonésia.

Premix Concreto

Matérias Relacionadas

Economia

Apostador de Fortaleza acerta os seis números sorteados na Mega-Sena

Os números sorteados neste sábado foram 02, 09, 34, 49, 51, 55
Apostador de Fortaleza acerta os seis números sorteados na Mega-Sena
Economia

Nascidos em outubro podem sacar auxílio emergencial a partir de hoje

Serão beneficiadas 3,5 milhões de pessoas
Nascidos em outubro podem sacar auxílio emergencial a partir de hoje
Economia

Mega-Sena acumula e prêmio vai para R$ 22 milhões

A quina teve 75 ganhadores, com prêmio individual de R$ 32.688,93
Mega-Sena acumula e prêmio vai para R$ 22 milhões
Economia

Copom mantém juros básicos da economia em 2% ao ano

Apesar de alta na inflação, BC decidiu não mexer na Selic
Copom mantém juros básicos da economia em 2% ao ano
Ver mais de Economia