Dia internacional das Mulheres
ECONOMIA

Mourão diz que não há mais como sustentar pagamento do BPC como está agora

26 Mar 2019 - 20h00Por Daniel Weterman e Pedro Venceslau

Enquanto líderes no Congresso defendem retirar da reforma da Previdência as mudanças no Benefício de Prestação Continuada (BPC), o vice-presidente Hamilton Mourão afirmou, em palestra a empresários na capital paulista nesta terça-feira, 26, que é impossível sustentar o benefício nas regras atuais.

"Temos que olhar isso, não há mais como sustentar isso aí", declarou Mourão, lembrando que o pagamento do BPC foi regulamentado para ser pago a idosos a partir de 70 anos e que a idade foi diminuindo para 67 e depois para 65. Para o vice-presidente, a atual regra incentiva pessoas a não contribuírem por saberem que vão receber um salário mínimo a partir desse período da vida.

Salário mínimo

Além de defender mudanças no BPC, Hamilton Mourão declarou que é necessário "lidar com aquilo que chamamos de vacas sagradas", fazendo uma crítica à regra de reajustar o salário mínimo pela inflação e o crescimento do PIB - legislação que precisará ser revista pelo governo de Jair Bolsonaro. Para o vice, essas "vacas sagradas "são até hoje responsáveis por muitos dos nossos problemas" porque o salário não seria, na opinião dele, realmente "mínimo".

Premix Concreto

Matérias Relacionadas

Geral

Presidente e diretor de Inovação da CDL falam sobre aplicativo da entidade

Aplicativo CDL Box vai trazer benefícios para lojistas e consumidores
Presidente e diretor de Inovação da CDL falam sobre aplicativo da entidade
Geral

Abertas as inscrições para processo seletivo de recenseador do IBGE

A remuneração do profissional vai depender da produtividade, mas pode chegar a R$ 2656,00. São 161 as vagas disponíveis para Jaraguá do Sul
Abertas as inscrições para processo seletivo de recenseador do IBGE
Economia

Lunelli distribui R$ 12 milhões aos colaboradores, mesmo após ano desafiador

Lunelli distribui R$ 12 milhões aos colaboradores, mesmo após ano desafiador
Economia

Preços de produtos industrializados sobem 3,36% em janeiro

Taxa é maior que índices de dezembro (0,39%) e janeiro de 2020 (0,35%)
Preços de produtos industrializados sobem 3,36% em janeiro
Ver mais de Economia