ECONOMIA

Modelo de capitalização só será discutido com autorização pedida na PEC

20 Fev 2019 - 16h53Por Eduardo Rodrigues, Idiana Tomazelli e Adriana Fernandes

O secretário especial adjunto de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia, Bruno Bianco, explicou nesta quarta-feira, 20, que o governo só irá enviar ao Congresso o projeto de lei que cria o sistema de capitalização da Previdência após a aprovação da reforma no Parlamento.

"Podemos discutir o modelo antes, mas a criação da capitalização depende da autorização por meio da PEC da Previdência", afirmou. Ele repetiu que o detalhamento das regras da capitalização só será feito em um segundo momento. "Na maioria dos países em que há regime de capitalização, há contribuição do empregador, e nem sempre é paritário", adiantou.

Perguntado se os governadores insistirão em algum tipo de ajuda da União para apoiarem a reforma, Bianco respondeu que a proposta da Previdência já é muito boa para Estados e municípios. "Não obstante a reforma, o Ministério da Economia está pensando em outras formas para melhorar o endividamento dos Estados", completou.

Já o secretário de Previdência da pasta, Leonardo Rolim, esclareceu que o gatilho para o aumento da idade mínima conforme a evolução da expectativa de sobrevida vale para todas as categorias de trabalhadores.

Rolim informou que todas as regras da reforma da Previdência valerão para Estados e municípios, à exceção das alíquotas previdenciárias progressivas, que serão cobradas imediatamente do INSS e dos servidores civis da União.

Extinção da DRU sobre seguridade

O governo vai acabar com a incidência da Desvinculação de Receitas da União (DRU) sobre arrecadação da Seguridade Social, destacou o diretor de programa da Secretaria Especial de Previdência e Trabalho, Felipe Portela. Na prática, nada muda, pois hoje o Tesouro Nacional já precisa aportar recursos para cobrir o déficit nas áreas de Saúde e Assistência, que formam a Seguridade junto com a Previdência.

"O orçamento é muito rígido, a ideia era permitir tirar dinheiro da Seguridade Social e também colocar recursos do Orçamento Fiscal na Seguridade. Em períodos de superávit, a DRU podia significar retirada efetiva de recursos", afirmou Portela.

"Extinção da DRU é questão de transparência. Se em algum momento a Seguridade se recuperar, não vai poder usar (o dinheiro)", afirmou.

Premix Concreto

Matérias Relacionadas

Economia

Dólar fecha praticamente estável a R$ 5,60

Bolsa encerra segunda-feira com pequena alta
Economia

Carnês do IPTU de Jaraguá podem ser impressos no site da prefeitura

Esta opção também está disponível no App Jaraguá na Mão
Carnês do IPTU de Jaraguá podem ser impressos no site da prefeitura
Economia

Petrobras anuncia nova alta nos preços da gasolina, diesel e gás

Reajuste será nas refinarias e entra em vigor amanhã
Petrobras anuncia nova alta nos preços da gasolina, diesel e gás
Economia

Prazo para entregar declaração do Imposto de Renda começa hoje

Receita espera receber 32,6 mi de declarações até 30 de abril
Prazo para entregar declaração do Imposto de Renda começa hoje
Ver mais de Economia