transito
ECONOMIA

Mercado não deve reagir mal à saída de Ilan Goldfajn do BC, diz Alex Agostini

15 Nov 2018 - 12h48Por Circe Bonatelli

O mercado financeiro não deve reagir de forma negativa à decisão do presidente do Banco Central (BC), Ilan Goldfajn, de deixar o cargo no governo de Jair Bolsonaro (PSL), estima o economista-chefe da Austin Rating, Alex Agostini.

Na sua avaliação, a política monetária nacional está sob controle, com as expectativas de inflação devidamente ancoradas, o que garante previsibilidade aos agentes econômicos.

Além disso, a tendência é que o próximo presidente do BC mantenha um perfil técnico, não político, conforme já sinalizou Paulo Guedes, futuro ministro da Economia.

"Por mais que o Ilan Goldfajn não tenha aceitado permanecer no cargo e isso, eventualmente, cause alguma reação negativa pontual, a essência é que está tudo sob controle na política monetária", avalia Agostini.

"E não preocupa quem será o próximo presidente devido às manifestações do governo eleito de que a gestão será técnica. É questão de tempo para conhecermos esse nome", complementa.

Segundo apurou o Estadão/Broadcast, Goldfajn não aceitará o convite de permanecer à frente da autoridade monetária por motivos pessoais. Os mais cotados pela equipe de transição do governo para substituí-los são o diretor de política econômica do BC, Carlos Viana de Carvalho, e o diretor do Santander, Roberto Campos Neto, para ocupar o cargo.

Agostini admite que causa alguma estranheza a saída de Goldfajn. Isso porque, nos bastidores, a leitura era de que a eventual autonomia do BC, defendida por Guedes e Bolsonaro, e que pode ser votada no Congresso, poderia abrir espaço para Goldfajn ficar no cargo.

"Nesse contexto, soa um pouco estranho ele não ter aceitado. Mas é difícil opinar sobre a mensagem que sua saída passa, pois não sabemos a real motivação para não ter aceitado o convite. Isso pode gerar um pouco de especulação", diz Agostini.

Ainda assim, o economista-chefe da Austin Rating minimiza a tendência de reações pessimistas duradouras no mercado financeiro. "Acredito que o próximo presidente do BC será técnico e a austeridade monetária será mantida. Isso é o mais importante", reitera.

Matérias Relacionadas

Economia

Pesquisa de preços mostra variação da cesta básica em Jaraguá do Sul

Tomate teve aumento de quase 30% neste mês em relação ao levantamento de maio
Pesquisa de preços mostra variação da cesta básica em Jaraguá do Sul
Geral

Guaramirim define prazo para isenção de Imposto Rural em Perímetro Urbano

Agricultores devem solicitar isenção até 11 de novembro
Guaramirim define prazo para isenção de Imposto Rural em Perímetro Urbano
Geral

Polícia Federal abre investigação sobre leilão de arroz

Conab também instaurou uma apuração interna
Polícia Federal abre investigação sobre leilão de arroz
Economia

Setor de serviços cresce 0,5% de março para abril no país, revela IBGE

É a segunda alta consecutiva do indicador
Setor de serviços cresce 0,5% de março para abril no país, revela IBGE
Ver mais de Economia