ECONOMIA

Marinho rechaça 'tumulto' por não vinda de Guedes à CCJ

26 Mar 2019 - 18h18Por Eduardo Rodrigues e Idiana Tomazelli

Após ser dispensado pelos parlamentares da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara dos Deputados, o secretário especial de Previdência e Trabalho, Rogério Marinho, minimizou o fato de o colegiado ter se recusado ao ouvi-lo no lugar do ministro da Economia, Paulo Guedes.

Questionado pelos jornalistas, ele disse não achar que a forma como a sessão foi conduzida e os últimos acontecimentos em torno da articulação sobre a reforma da Previdência sejam um "tumulto". "Não vejo dessa forma", respondeu.

A justificativa de Guedes para não comparecer à CCJ foi o fato de não haver um relator designado para a reforma da Previdência. "Para que a comissão funcione com normalidade, é necessário haver um relator", acrescentou Marinho.

O presidente da CCJ da Câmara dos Deputados, Felipe Francischini (PSL-PR), disse que deve indicar o relator da reforma da Previdência na comissão ainda nesta semana. Governo e oposição firmaram um novo acordo para que Guedes compareça à CCJ no dia 3 de abril - quarta-feira da próxima semana.

Premix Concreto

Matérias Relacionadas

Economia

Câmara de Dirigentes Lojistas de Jaraguá do Sul inova com lançamento do CDL BOX

Além de beneficiar clientes e lojistas, a ferramenta ainda servirá para ajudar instituições jaraguaenses cadastradas.
Câmara de Dirigentes Lojistas de Jaraguá do Sul inova com lançamento do CDL BOX
Economia

Geo Portal, da Prefeitura de Jaraguá, alcança mais de 600 consultas diárias

Serviço busca expandir informações geográficas do município de forma simples e rápida
Geo Portal, da Prefeitura de Jaraguá, alcança mais de 600 consultas diárias
Economia

Lucro da Weg cresce 48,5% no 4º trimestre, para R$ 742,2 milhões

No ano, o lucro chegou a R$ 2,340 bilhões, avanço de 45% ante o ano anterior
Lucro da Weg cresce 48,5% no 4º trimestre, para R$ 742,2 milhões
Economia

Bolsonaro sanciona projeto que dá autonomia ao Banco Central

Medida prevê mandatos para dirigentes do órgão
Bolsonaro sanciona projeto que dá autonomia ao Banco Central
Ver mais de Economia