ECONOMIA

Líder do PSL: governo errou ao dar tratamento diferenciado a militares

21 Mar 2019 - 18h56Por Mariana Haubert e Camila Turtelli

O líder do PSL na Câmara, Delegado Waldir (GO), voltou a criticar duramente o projeto de lei enviado pelo governo ao Congresso que trata da reestruturação das carreiras das Forças Armadas e da aposentadoria dos militares. Para ele, o governo errou ao dar tratamento diferenciado a uma categoria e acabou enviando "um abacaxi" para os parlamentares "descascarem com o dente".

O deputado, que é líder do partido do presidente Jair Bolsonaro e da maior bancada da Câmara (junto com o PT), criticou o fato de o governo ter prometido uma coisa para a Câmara e ter entregado outra em relação à reforma da previdência dos militares. A principal crítica é a inclusão da reestruturação da carreira.

Em sua avaliação, o ruído atrapalhou o andamento da tramitação da proposta que trata do Regime Geral da Previdência, apresentado ao Congresso há mais de um mês. "A Câmara quer votar, quer agir, mas precisamos que o governo explique as propostas. O projeto dos militares não atende ao que o governo se propôs a trazer para esta Casa", disse.

O deputado reclamou que a equipe econômica não procurou a Câmara em nenhum momento antes da apresentação da reforma, tendo deixado os parlamentares à mercê do que seria apresentado. Para ele, o diálogo do governo com o Congresso precisa melhorar para viabilizar a aprovação das reformas.

"Não tive nenhum diálogo com representantes do governo sobre o projeto dos militares. O Parlamento quer participar e não participamos da festa, da construção dessa proposta. Meu gabinete está de portas abertas para receber qualquer emissário a qualquer momento", disse. Ele chegou a fazer uma brincadeira sobre a falta de comunicação: "Vou ter que passar em uma delegacia para prestar queixa".

O líder do PSL disse ainda que o partido poderá entregar seus 54 votos desde que a reforma da Previdência seja igualitária para todos. "Ou o governo faz as mudanças no texto dos militares como queremos, ou deixa a Câmara fazer. Mas, neste caso, ele tem que assumir que deu tratamento diferenciado a uma categoria", afirmou.

Premix Concreto

Matérias Relacionadas

Saúde

Entidades empresariais manifestam apoio ao decreto do Governo do Estado

Saúde

Jaraguá terá novas medidas contra covid-19 a partir de 1º de março

Medida terá validade por 15 dias
Jaraguá terá novas medidas contra covid-19 a partir de 1º de março
Saúde

Com novo decreto, Prefeitura de Jaraguá detalha restrições

O Governo do Estado publicou o Decreto 1.172 nesta sexta-feira (26) suspendendo o funcionamento de serviços não essenciais das 23h desta sexta-feira (26) até às 6h de segunda-feira (1º)
Com novo decreto, Prefeitura de Jaraguá detalha restrições
Saúde

Governo decreta fechamento de atividades não essenciais no fim de semana em SC

A decisão é mais uma medida do Executivo estadual para reforçar o enfrentamento ao coronavírus em um momento de agravamento da situação sanitária em Santa Catarina
Governo decreta fechamento de atividades não essenciais no fim de semana em SC
Ver mais de Economia