Delivery Much
ECONOMIA

Leilão da Avianca é suspenso pelo TJ de São Paulo

06 Mai 2019 - 16h58Por Cynthia Decloedt

O leilão de autorizações de pousos e decolagens (slots) da Avianca, em recuperação judicial, marcado para esta terça-feira, 7, foi suspenso nesta segunda-feira, 6, pelo desembargador Ricardo Negrão, do Tribunal de Justiça (TJ) de São Paulo, em resposta favorável a um agravo apresentado pela Swissport, arrendadora de motor, contra a homologação do plano de recuperação pelo juiz Thiago Limongi, da 1ª Vara de Falências de Recuperação Judicial.

Esta suspensão foi em caráter liminar e o agravo ainda será julgado pelo TJ.

Na decisão liminar, o desembargador diz haver relevância nos fundamentos do recurso apresentado pela Swissport indicando a inviabilidade da aprovação do plano de recuperação judicial que está "lastreado em previsões que afrontam o princípio da legalidade".

Segundo o TJ, a Swissport, credora de R$ 17 milhões, pede que o plano seja anulado e um novo apresentado, já que a companhia desenhou um plano baseado na transferência de slots, o que é vedado pela legislação e aponta para a inviabilidade de realização do leilão, já que as UPIs, unidades produtivas isoladas por meio dos quais serão vendidas as autorizações, não estão ainda constituídas. A Swissport teria citado ainda indicações de que houve manipulação de quórum para aprovação do plano de recuperação judicial.

Premix Concreto

Matérias Relacionadas

Economia

Copom deve manter juros básicos em 2% ao ano, dizem analistas

Resultado da reunião será divulgado no fim da tarde
Geral

INSS: prova de vida de aposentados é suspensa até fevereiro

Portaria foi publicada hoje no Diário Oficial da União
INSS: prova de vida de aposentados é suspensa até fevereiro
Economia

Bancos Inter, Itaú e Caixa lideram ranking de reclamações ao BC

São consideradas instituições com mais de 4 milhões de clientes
Economia

Litro da gasolina sobe R$ 0,15 nas refinarias da Petrobras

O novo valor será de R$ 1,98 para as revendedoras
Litro da gasolina sobe R$ 0,15 nas refinarias da Petrobras
Ver mais de Economia