Joaçaba Pneus
ECONOMIA

Juros recuam com dólar à espera de desfecho do Copom e Federal Reserve

19 Mar 2019 - 11h19Por Silvana Rocha

Os juros futuros recuam na manhã desta terça-feira, 19, em linha com a queda do dólar ante o real. Após a euforia da véspera que colocou o Ibovespa em 100 mil pontos e o dólar abaixo dos R$ 3,80 assim como os juros em queda, o mercado de renda fixa volta a operar as taxas em baixa, com o investidor atento ao encontro entre o presidente Jair Bolsonaro e o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump (13h05), e também à espera de novidades sobre a reforma da Previdência.

A Comissão de Assuntos Econômicos do Senado (CAE) realiza audiência pública nesta terça para debater a proposta de reforma da Previdência. No radar está ainda o primeiro dia de reuniões do Copom e do Federal Reserve, que anunciam amanhã suas decisões sobre juros.

Para o Copom, a aposta consensual é de manutenção da taxa Selic em 6,50%. Contudo, o debate sobre a possibilidade de afrouxamento em algum momento este ano vem crescendo, alimentado por dados fracos da atividade, como por exemplo a queda de 0,41% do IBC-Br em janeiro, mais intensa do que apontava a mediana (-0,25%) das estimativas.

Já para o desfecho do Fed, também é esperada manutenção dos juros dos Fed Funds na faixa atual, de 2,25% a 2,50, e possível redução das previsões para as altas de juros nos Estados Unidos. O presidente do Fed, Jerome Powell, falará depois da reunião, na quarta.

Mais cedo foram divulgados alguns índices de preços, que ficam em segundo plano. O IGP-M subiu 1,06% na segunda prévia de março, após ter avançado 0,55% na segunda leitura de fevereiro. O IPC-Fipe, que mede a inflação na cidade de São Paulo, subiu 0,56% na segunda quadrissemana de março, de 0,54% na primeira quadrissemana deste mês.

A alta de 0,57% do Índice de Preços ao Consumidor Semanal (IPC-S) na segunda quadrissemana de março resultou da elevação da média dos preços em quatro das sete capitais em que a Fundação Getulio Vargas (FGV) faz o levantamento para o cálculo do indicador.

Às 9h34, o contrato de Depósito Interfinanceiro (DI) para janeiro de 2020 estava a 6,355%, igual ao ajuste de ontem. O DI para janeiro de 2021 caía a 6,91%, de 6,92% do ajuste de ontem. O DI para janeiro de 2023 cedia a 7,99%, de 8,00% no ajuste de ontem. E o DI para janeiro de 2025 cedia a 8,52%, de 8,54% no ajuste de ontem. No câmbio, o dólar à vista caía 0,21%, aos R$ 3,7829. O dólar futuro para abril recuava 0,26%, a R$ 3,7850.

Matérias Relacionadas

Economia

Exportação de SC cresce 36,3% em maio

No acumulado de janeiro a maio, os embarques do estado somaram US$ 3,8 bilhões - um aumento de 11,2% em relação ao mesmo período de 2020
Exportação de SC cresce 36,3% em maio
Economia

Programa Juro Zero libera mais de R$ 2 milhões em dois meses

Programa de Microcrédito Municipal atende micro e pequenas empresas, microempreendedores individuais e autônomos
Programa Juro Zero libera mais de R$ 2 milhões em dois meses
Economia

Bolsonaro pede a empresários para segurarem preço dos alimentos

Pedido ocorreu durante encontro no Rio de Janeiro
Bolsonaro pede a empresários para segurarem preço dos alimentos
Economia

Copom eleva taxa básica de juros para 4,25% ao ano

Decisão de elevar a Selic pela terceira vez era esperada pelo mercado
Copom eleva taxa básica de juros para 4,25% ao ano
Ver mais de Economia