dengue
ECONOMIA

IBC-Br cai 0,09% em setembro ante agosto, com ajuste

16 Nov 2018 - 08h20Por Eduardo Rodrigues

Após avançar 0,53% em agosto (dado já revisado), a economia brasileira ficou praticamente estável em setembro de 2018. O Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br) teve leve baixa de 0,09% em setembro ante agosto, na série com ajuste sazonal, informou nesta sexta-feira, 16, a instituição.

O índice de atividade calculado pelo BC passou de 139,15 pontos para 139,03 pontos na série dessazonalizada de agosto para setembro.

A baixa do IBC-Br ficou dentro do intervalo projetado pelos analistas do mercado financeiro consultados pelo Broadcast Projeções, que esperavam resultado entre -1,20% e +0,53% (mediana em -0,30%).

Na comparação entre os meses de setembro de 2018 e setembro de 2017, houve alta de 0,72% na série sem ajustes sazonais. Esta série encerrou com o IBC-Br em 136,50 pontos em setembro, ante 135,52 pontos de setembro do ano passado.

O indicador de setembro de 2018 ante o mesmo mês de 2017 mostrou desempenho pouco acima do apontado pela mediana (+0,70%) das previsões de analistas do mercado financeiro ouvidos pelo Broadcast Projeções (estabilidade a 3,10% de intervalo). O patamar de 136,50 pontos é o melhor para meses de setembro desde 2015 (138,07 pontos).

O IBC-Br acumulou alta de 1,14% no ano até setembro. O porcentual diz respeito à série sem ajustes sazonais. Pela mesma série, o IBC-Br apresenta elevação de 1,45% nos 12 meses encerrados em setembro.

Trimestre

O Banco Central informou, ainda, que o IBC-Br registrou alta de 1,74% no acumulado do trimestre até setembro, na comparação com o trimestre anterior (abril a junho), pela série ajustada.

O indicador acumulou alta de 1,72% no trimestre até setembro ante o mesmo período do ano passado, pela série sem ajustes sazonais.

Revisões

O BC também revisou dados do índice, na série com ajuste. O IBC-Br de agosto foi revisado de +0,47% para +0,53%. O indicador de julho passou de +0,65% para +0,33%, enquanto o de junho passou de +3,45% para +3,42%.

Em maio, o índice foi de -3,33% para -3,39%. No caso de abril, a revisão foi de +0,60% para +0,57%. O dado de março foi de -0,60% para -0,32% e o de fevereiro passou de +0,30% para +0,03%. Em relação a janeiro, o BC substituiu a taxa de -0,65% pela de -1,66%.

Conhecido como uma espécie de "prévia do BC para o PIB", o IBC-Br serve como parâmetro para avaliar o ritmo da economia brasileira ao longo dos meses. A previsão atual do BC para a atividade doméstica em 2018 é de avanço de 1,4%.

Matérias Relacionadas

Economia

Pesquisa de preços mostra variação da cesta básica em Jaraguá do Sul

Tomate teve aumento de quase 30% neste mês em relação ao levantamento de maio
Pesquisa de preços mostra variação da cesta básica em Jaraguá do Sul
Geral

Guaramirim define prazo para isenção de Imposto Rural em Perímetro Urbano

Agricultores devem solicitar isenção até 11 de novembro
Guaramirim define prazo para isenção de Imposto Rural em Perímetro Urbano
Geral

Polícia Federal abre investigação sobre leilão de arroz

Conab também instaurou uma apuração interna
Polícia Federal abre investigação sobre leilão de arroz
Economia

Setor de serviços cresce 0,5% de março para abril no país, revela IBGE

É a segunda alta consecutiva do indicador
Setor de serviços cresce 0,5% de março para abril no país, revela IBGE
Ver mais de Economia