GNet
Caraguá
ECONOMIA

Guedes: 'O Brasil precisa de R$ 1 trilhão, não é a equipe econômica'

20 Mar 2019 - 18h03Por Eduardo Rodrigues e Augusto Decker

O ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou nesta quarta-feira, 20, que a reforma da Previdência dos militares "trata mais da distribuição de tarefas e 'pontos'". Segundo ele, "o Brasil precisa de R$ 1 trilhão" com a reforma, "e não a equipe econômica". As declarações foram dadas no Congresso Nacional, em Brasília, onde ele, o presidente Jair Bolsonaro e outras autoridades foram entregar a proposta de reestruturação do sistema de proteção social das Forças Armadas.

"Se conseguirmos fazer isso, não condenaremos as próximas gerações a ficarem presas às mesmas armadilhas", como insolvência, disse o ministro da Economia, passando a bola para o Congresso debater a proposta.

Guedes disse ainda que as Forças Armadas estão fazendo grande sacrifício, e que o governo e a equipe econômica estão "bastante satisfeitos" com as negociações com militares. O ministro da Economia indicou que a reforma é necessária para que o governo tenha condições de pagar os benefícios a todos os trabalhadores: "precisamos de potência fiscal para manter compromisso de pagar aposentadorias", completou.

Caraguá

Matérias Relacionadas

Economia

Sindicato dos Metalúrgicos da região e classe patronal fecham reajuste para 2022

Confira o reajuste que será concedido aos trabalhadores
Sindicato dos Metalúrgicos da região e classe patronal fecham reajuste para 2022
Geral

Mega-Sena acumula e próximo concurso deve pagar R$ 22 milhões

Próximo sorteio será no sábado
Mega-Sena acumula e próximo concurso deve pagar R$ 22 milhões
Economia

Governo afirma que IPVA cobrado em Santa Catarina não sofre reajuste

Entenda o aumento no valor a ser pago este ano, em comparação ao ano passado.
Governo afirma que IPVA cobrado em Santa Catarina não sofre reajuste
Economia

WEG vai abrir nova fábrica na Ásia

Previsão de inauguração é para o primeiro semestre deste ano
WEG vai abrir nova fábrica na Ásia
Ver mais de Economia