transito
ECONOMIA

Gol: se Boeing Max 8 não puder voar até dezembro, voo para Lima será em 737 NG

02 Mai 2019 - 20h00Por Marcos Antomil, especial para a AE

A Gol acredita que o uso do modelo Boeing 737 Max 8 estará normalizado no segundo semestre deste ano. Caso contrário, a empresa informou ao Broadcast, sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado, que fará a nova rota entre São Paulo e Lima, no Peru, com o modelo 737 NG. Esse segundo modelo faz as viagens sem escalas entre São Paulo e Quito no intervalo de seis horas, tempo menor que as cinco horas de voo estimadas até Lima.

A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) também informou que a suspensão das operações do 737 Max 8 está mantida no Brasil, porém a venda de passagens aéreas não está vinculada ao tipo de aeronave a ser utilizada na respectiva rota. Na data do voo, só poderá ser utilizada aeronave certificada com autorização para operar no País, informa a Anac.

Mais cedo, a Gol anunciou novos voos entre São Paulo e Lima a partir de dezembro. A aeronave escolhida é o modelo 737 Max 8, que está proibido de voar desde março, depois de dois acidentes que vitimaram 346 pessoas em um intervalo de pouco mais de quatro meses.

Matérias Relacionadas

Economia

Bancos não terão atendimento presencial ao público nesta quinta-feira

Agências serão reabertas na sexta
Bancos não terão atendimento presencial ao público nesta quinta-feira
Economia

Mercado eleva previsão da inflação de 3,8% para 3,86% em 2024

Projeção de expansão da economia está 2,05% este ano.
Mercado eleva previsão da inflação de 3,8% para 3,86% em 2024
Economia

Após chuvas, Gramado tem mais de 500 hotéis e restaurantes fechados

Temporais e deslizamentos deixaram 1 mil desabrigados
Após chuvas, Gramado tem mais de 500 hotéis e restaurantes fechados
Política

Modal ferroviário é tema de debate na Assembleia Legislativa de Santa Catarina

Encontro foi proposto pelo deputado Antídio Lunelli, presidente da Comissão de Transportes e Desenvolvimento Urbano da Alesc
Modal ferroviário é tema de debate na Assembleia Legislativa de Santa Catarina
Ver mais de Economia