Dia internacional das Mulheres
ECONOMIA

Etanol sobe em 18 Estados e no DF, diz ANP; preço médio avança 2,07% no País

19 Mar 2019 - 12h49

Os preços médios do etanol hidratado subiram em 18 Estados e no Distrito Federal na semana passada, de acordo com levantamento da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) compilado pelo AE-Taxas. Houve recuo em outros 7 Estados. No Amapá, não houve avaliação na semana passada.

Na média dos postos brasileiros pesquisados pela ANP houve alta de 2,07% no preço médio do etanol na semana passada ante a anterior, de R$ 2,902 para R$ 2,962.

Em São Paulo, principal Estado produtor e consumidor, a cotação média do hidratado avançou 2,87% no período, de R$ 2,752 para R$ 2,831 o litro. A maior alta semanal, de 4,22%, foi no Rio Grande do Norte.

Na comparação mensal os preços do etanol subiram em 19 Estados e no Distrito Federal e recuaram em apenas 5 Unidades. Em Tocantins, as cotações ficaram estáveis e no Amapá não houve avaliação.

Na média brasileira o preço do etanol pesquisado pela ANP acumulou aumento de 7,409% na comparação mensal, com destaque para São Paulo, a maior alta nos preços do biocombustível no período, de 10,59%.

O preço mínimo registrado na semana passada para o etanol em um posto foi de R$ 2,269 o litro, em Mato Grosso, e o máximo individual ficou de R$ 4,700 o litro, no Acre. Mato Grosso tem o menor preço médio estadual, de R$ 2,598 o litro, e o maior preço médio ocorreu nos postos do Rio Grande do Sul, de R$ 4,010 o litro.

Competitividade

Os preços médios do etanol hidratado continuam vantajosos ante os da gasolina em apenas quatro Estados brasileiros - Goiás, Mato Grosso, Minas Gerais, e São Paulo. O levantamento da ANP compilado pelo AE-Taxas considera que o etanol de cana ou de milho, por ter menor poder calorífico, tenha um preço limite de 70% do derivado de petróleo nos postos para ser considerado vantajoso.

Em Mato Grosso, o hidratado é vendido em média por 58,47% do preço da gasolina, em Minas Gerais, a 67,85%; em Goiás a 66,94%, e, em São Paulo, por 69,76%.

Na média dos postos pesquisados no País, a paridade é de 68,98% entre os preços médios do etanol e da gasolina, também favorável ao biocombustível.

A gasolina se mantém mais vantajosa em Roraima, com a paridade de 95,03% para o preço do etanol.

Premix Concreto

Matérias Relacionadas

Geral

Contribuinte pode destinar parte do IR para projetos sociais de Guaramirim

Todas as pessoas físicas podem fazer doações de recursos financeiros aos Fundos Municipais
Contribuinte pode destinar parte do IR para projetos sociais de Guaramirim
Economia

Aumento da gasolina também causa impacto no preço do etanol

Álcool acumula aumento de 21% desde janeiro
Aumento da gasolina também causa impacto no preço do etanol
Economia

Indústria brasileira cresce 0,4% de dezembro para janeiro

Setor teve expansão de 0,8% na média móvel trimestral
Indústria brasileira cresce 0,4% de dezembro para janeiro
Economia

Em nova coleção, Malwee aposta em versatilidade e moda atemporal

Marca apresenta peças atemporais como moletons, malhas texturizadas, calças jogger, jeans e tricôs clássicos para serem usados por vários invernos
Em nova coleção, Malwee aposta em versatilidade e moda atemporal
Ver mais de Economia