ECONOMIA

Empresário Paulo Afonso Ferreira é o presidente interino da CNI

28 Fev 2019 - 15h26Por Luci Ribeiro

O empresário goiano Paulo Afonso Ferreira foi escolhido nesta quinta-feira, 28, presidente interino da Confederação Nacional da Indústria (CNI), informou a entidade. Ele assume temporariamente o comando da confederação no lugar de Robson Andrade, afastado do cargo pelo prazo de 90 dias por decisão judicial. Andrade é alvo da Operação Fantoche da Polícia Federal, que apura suposto desvio de recursos do Sistema S e do Ministério do Turismo e chegou a ser preso no último dia 19 no âmbito da operação.

Paulo Afonso Ferreira foi escolhido, por unanimidade, durante reunião do Conselho de Representantes da CNI, instância máxima da entidade composta por delegados das federações das indústrias dos 26 Estados e do Distrito Federal.

Hoje, o empresário, que já liderou a Federação das Indústrias do Estado de Goiás, é vice-presidente executivo da CNI para a Região Centro-Oeste e presidente do Conselho de Assuntos Legislativos (CAL). Ele exercerá a presidência da instituição enquanto durar o afastamento temporário de Robson Andrade.

Premix Concreto

Matérias Relacionadas

Geral

Abertas as inscrições para processo seletivo de recenseador do IBGE

A remuneração do profissional vai depender da produtividade, mas pode chegar a R$ 2656,00. São 161 as vagas disponíveis para Jaraguá do Sul
Abertas as inscrições para processo seletivo de recenseador do IBGE
Economia

Lunelli distribui R$ 12 milhões aos colaboradores, mesmo após ano desafiador

Lunelli distribui R$ 12 milhões aos colaboradores, mesmo após ano desafiador
Economia

Preços de produtos industrializados sobem 3,36% em janeiro

Taxa é maior que índices de dezembro (0,39%) e janeiro de 2020 (0,35%)
Preços de produtos industrializados sobem 3,36% em janeiro
Polícia

Polícia apreende carga de camarão contrabandeado na BR 101, em Garuva

A carga contrabandeada era transportada sem refrigeração adequada e sem nenhum tipo de documentação
Polícia apreende carga de camarão contrabandeado na BR 101, em Garuva
Ver mais de Economia