ECONOMIA

É um ato discricionário do presidente da CCJ, diz Marinho, sobre relator

21 Mar 2019 - 12h55Por Vinicius Neder

O secretário especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia, Rogério Marinho, afirmou nesta quinta-feira, 21, que o ritmo de tramitação da proposta de emenda constitucional (PEC) da reforma da Previdência deve ser ditado, a partir de agora, pelo Congresso Nacional. O secretário evitou estimar um prazo ideal para aprovar a PEC.

"Quem tem que dar o ritmo a partir de agora é o Congresso", afirmou Marinho, ao deixar a sessão de encerramento da 53ª Convenção Nacional de Supermercados, promovida pela Associação Brasileira de Supermercados (Abras), no Rio.

Marinho minimizou a decisão da Comissão de Constituição, Cidadania e Justiça (CCJ) da Câmara dos Deputados de não indicar o relator da PEC nesta quinta-feira. "(A indicação do relator) É um ato discricionário do presidente da CCJ", afirmou Marinho.

Em nota, a liderança do PSL informou que a indicação do deputado relator, inicialmente prevista para esta quinta-feira, só será feita após o Ministério da Economia prestar esclarecimentos sobre o projeto de reforma previdenciária e reestruturação das carreiras das Forças Armadas, apresentado na quarta-feira.

Marinho evitou relacionar o adiamento da indicação com atrasos na tramitação da PEC.

Segundo o secretário, o projeto sobre os militares foi apresentado na quarta-feira e os deputados terão tempo de se debruçar sobre a matéria. O importante é que não haja confusão entre a proposta de reforma para trabalhadores da iniciativa privada e de servidores civis com o caso dos militares, disse o secretário.

Questionado se o governo ainda trabalha com a aprovação da PEC da reforma da Previdência na Câmara no primeiro semestre, Marinho disse: "Para o governo, para a sociedade, seria importante que o projeto (o pacote de reforma da Previdência) tenha a celeridade adequada, sem que se perca qualidade no debate".

Premix Concreto

Matérias Relacionadas

Economia

Bolsonaro sanciona projeto que dá autonomia ao Banco Central

Medida prevê mandatos para dirigentes do órgão
Bolsonaro sanciona projeto que dá autonomia ao Banco Central
Economia

Dólar tem pequena queda e fecha a R$ 5,42

Bolsa sobe 0,38% em dia de recuperação
Geral

Prefeito e vice participam da plenária da CDL de Jaraguá desta quarta

Eles falam sobre os projetos para a gestão 2021-2024.
Prefeito e vice participam da plenária da CDL de Jaraguá desta quarta
Economia

Presidente da Fapesc visita Jaraguá do Sul

Fábio Zabot Holthausen veio a Jaraguá para estreitar laços, trocar ideias e visitar, novamente, o Centro de Inovação - NovaleHub no bairro Três Rios do Sul.
Presidente da Fapesc visita Jaraguá do Sul
Ver mais de Economia