Caraguá
Caraguá
ECONOMIA

Dólar sobe com desaceleração global e Previdência no radar

14 Mar 2019 - 11h12Por Silvana Rocha

O dólar se ajusta para cima na manhã desta quinta-feira, 14, após ter recuado na véspera pela quarta sessão seguida. Pesa para a alta o dólar forte no exterior em meio a preocupações renovadas sobre a desaceleração global na esteira de dados chineses mais fracos que o esperado. A queda acumulada de 1,82% ante o real nas últimas quatro sessões também tornou a moeda atrativa, segundo um operador de câmbio.

Os agentes de câmbio seguem atentos à reforma da Previdência. O Ministério da Defesa encaminhou ao Ministério da Economia na quarta a reforma da Previdência dos militares incluindo aumento de salário para a categoria, ponto em que há divergências entre a equipe econômica e o núcleo militar. O Broadcast, sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado, apurou que a transição prevista na reforma da Previdência dos militares deve ser mais suave do que a anunciada para os civis.

De todo modo, é bem recebida a notícia de que, para não atrapalhar a reforma da Previdência, o ministro da Economia, Paulo Guedes, resolveu adiar a apresentação da proposta de emenda constitucional que retira as "amarras" do Orçamento e ficou conhecida como PEC do pacto federativo.

Há expectativas ainda pelos desdobramentos do Brexit, como é conhecido o processo para a retirada do Reino Unido da União Europeia. A primeira-ministra britânica, Theresa May, deve realizar uma nova votação de seu acordo para a saída do Reino Unido da União Europeia (UE) na próxima semana, informa a mídia britânica, depois de o texto ter sofrido duas derrotas no Parlamento do país.

Na tarde desta quinta será votada no Parlamento a possibilidade de um adiamento da data do Brexit, atualmente em 29 de março, para, provavelmente, 30 de junho. A extensão do prazo seria possível caso os parlamentares aprovem um acordo para o divórcio até o dia 20 de março.

As negociações comerciais entre EUA e China ficam ainda no radar. O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, alertou a China ontem à noite que não irá assinar um acordo comercial "fraco", que não atenda as exigências de Washington, mudando o tom otimista das últimas semanas. Após reunião com assessores na Casa Branca, Trump disse a repórteres que "não está com pressa" de fechar um acordo, o que contrasta com o que ele descreveu como "impaciência" de Pequim.

Na agenda diária consta também um leilão de 14.500 contratos de swap cambial, o que equivale a US$ 725,0 milhões, para rolagem de vencimentos de abril. Às 9h42 desta quinta, o dólar subia 0,40%, a R$ 3,8290. O dólar futuro para abril estava em alta de 0,37%, aos R$ 3,8325.

Caraguá

Matérias Relacionadas

Economia

Receita abre consulta a lote residual de restituições do IR

Contribuintes receberão crédito bancário no próximo dia 31
Receita abre consulta a lote residual de restituições do IR
Economia

Oportunidade de trabalho

Confira!
Oportunidade de trabalho
Segurança

Banco Central comunica vazamento de dados de 160,1 mil chaves Pix

Foram vazados dados cadastrais da Acesso Pagamentos
Banco Central comunica vazamento de dados de 160,1 mil chaves Pix
Economia

Presidente negocia PEC para zerar impostos sobre combustíveis

Em 2021, a gasolina e o diesel subiram 47%, Etanol acumula alta de 62%
Presidente negocia PEC para zerar impostos sobre combustíveis
Ver mais de Economia