ECONOMIA

Dólar oscila ante real com previsão de liquidez do leilão de linha e alta externa

21 Dez 2018 - 09h01Por Silvana Rocha

O dólar oscila sem direção única no mercado doméstico na manhã desta sexta-feira, 21, refletindo ajustes ao fechamento anterior, quando o dólar futuro de janeiro fechou bem abaixo (a R$ 3,8420) da cotação final no mercado à vista (a R$ 3,8561). Por isso, esse contrato futuro mostra leve alta e o dólar à vista passou a cair, depois de exibir um viés positivo nos primeiros negócios sob influência da valorização externa da moeda dos Estados Unidos.

Segundo operadores, pode estar influenciando na baixa do dólar à vista a perspectiva da oferta de liquidez de mais US$ 1 bilhão pelo Banco Central. Interessa aos investidores que pretendem participar dos dois leilões de linha com recompra do Banco Central um dólar mais fraco. A Ptax do meio-dia será usada como referência na venda da moeda pelo Banco Central e quanto menor o seu valor melhor para o comprador nessas operações.

Mas, a correção de baixa à vista é limitada também pelo clima negativo de negócios no exterior, onde persiste a ameaça de uma paralisação parcial da máquina do governo dos Estados Unidos a partir deste sábado e os receios com uma desaceleração global.

Por isso, todas as atenções estarão sobre a terceira leitura do PIB dos Estados Unidos que será divulgada no fim da manhã e no Senado do país, em meio a um impasse no Congresso sobre recursos que o presidente Donald Trump exige para a construção de um muro na fronteira com o México.

Às 9h50, o dólar à vista já rondava a estabilidade, aos R$ 3,8571 (+0,03%), ante mínima pouco antes em R$ 3,8451 (-0,29%). O dólar futuro de janeiro de 2019 seguia em alta, aos R$ 3,8565 (+0,38%).

Pela manhã, os agentes de câmbio vão monitorar os dados das contas do setor externo em novembro e da arrecadação fiscal no mesmo mês (ambos às 10h30). As projeções para o setor externo são de déficit entre US$ 3 bilhões a US$ 500 milhões; mediana negativa de US$ 1,68 bilhão, após superávit de US$ 329 milhões em outubro. Para arrecadação, as estimativas vão de R$ 112,7 bilhões a R$ 191,9 bilhões; mediana de R$ 120,5 milhões, após R$ 131,88 bilhões em outubro. O BC também oferta US$ 1 bilhão em dois leilões de linha cambial (12h15).

Matérias Relacionadas

Economia

Projeção de crescimento de Guaramirim atrai investimentos na construção civil

Com este desenvolvimento natural, impulsionado pela geração de vagas de emprego e importantes obras estruturais, o município também ganha um novo conceito de empreendimento, representado pelo Residencial Torres de Turim
Projeção de crescimento de Guaramirim atrai investimentos na construção civil
Economia

Sorteio da Quina de São João será neste sábado

Prêmio de R$ 170 milhões é o maior do concurso
Sorteio da Quina de São João será neste sábado
Economia

Banco Central nega possibilidade de golpe com Pix agendado

Segundo órgão, mensagem que circula na internet não passa de rumor
Banco Central nega possibilidade de golpe com Pix agendado
Economia

Governo deve anunciar prorrogação do auxílio nesta semana, diz Guedes

Ministro se reuniu com empresário na Fiesp, em São Paulo
Governo deve anunciar prorrogação do auxílio nesta semana, diz Guedes
Ver mais de Economia