ECONOMIA

Dívida Pública Federal sobe 1,71% e fecha fevereiro em R$ 3,873 tri, diz Tesouro

27 Mar 2019 - 11h33Por Eduardo Rodrigues

O estoque da Dívida Pública Federal (DPF) subiu 1,71% em fevereiro, quando atingiu R$ 3,873 trilhões. Os dados foram divulgados nesta quarta-feira, 27, pelo Tesouro Nacional. Em janeiro, o estoque estava em R$ 3,808 trilhões.

A correção de juros no estoque da DPF foi de R$ 29,48 bilhões em fevereiro. Já as emissões de papéis totalizaram R$ 55,14 bilhões, enquanto os resgates chegaram a R$ 18,64 bilhões, o que resultou em uma emissão líquida de R$ 36,04 bilhões.

A DPF inclui a dívida interna e externa. A Dívida Pública Mobiliária Federal interna (DPMFi) subiu 1,69% e fechou o mês passado em R$ 3,731 trilhões.

A Dívida Pública Federal externa (DPFe) ficou 2,24% maior, somando R$ 141,92 bilhões no segundo mês do ano.

12 meses

A parcela da DPF a vencer em 12 meses caiu de 15,67% em janeiro para 15,57% em fevereiro, segundo o Tesouro Nacional. O prazo médio da dívida caiu de 4,18 anos em janeiro para 4,13 anos no mês passado.

O custo médio acumulado em 12 meses da DPF passou de 9,66% ao ano em janeiro para 9,69% ao ano em fevereiro.

Parcela prefixada

A parcela de títulos prefixados na DPF subiu de 30,92% em janeiro para 31,30% em fevereiro. Os papéis atrelados à Selic também aumentaram a fatia, de 36,92% para 37,01%.

Os títulos remunerados pela inflação caíram de 28,34% do estoque da DPF em janeiro, para 27,85% em fevereiro. Os papéis cambiais elevaram a participação na DPF de 3,82% em janeiro para 3,84% no mês passado.

Todos os papéis estão dentro das metas do Plano Anual de Financiamento (PAF) para este ano. O intervalo do objetivo perseguido pelo Tesouro para os títulos prefixados em 2019 é de 29% a 33%, enquanto os papéis remunerados pela Selic devem ficar entre 38% a 42%. No caso dos que têm índices de preço como referência, a meta é de 24% a 38% e, no de câmbio, de 3% a 7%.

Estrangeiros

Os estrangeiros aumentaram a participação na dívida pública brasileira em fevereiro. A fatia dos investidores não-residentes no Brasil no estoque da DPMFi subiu de 11,80% em janeiro para 12,18% no mês passado, somando R$ 454,61 bilhões, segundo os dados divulgados pelo Tesouro Nacional. Em janeiro, o estoque nas mãos de estrangeiros estava em R$ 433,12 bilhões.

Os fundos de investimento continuaram os maiores detentores de papéis do Tesouro, com a participação passando de 27,06% em janeiro para 27,24% no mês passado. Já a fatia do grupo Previdência passou de 25,02% para 24,56%.

A parcela das instituições financeiras no estoque da DPMFi teve elevação de 22,01% em janeiro para 22,10% em fevereiro. Já as seguradoras tiveram recuo na participação de 4,24% para 4,19%.

Premix Concreto

Matérias Relacionadas

Saúde

Jaraguá terá novas medidas contra covid-19 a partir de 1º de março

Medida terá validade por 15 dias
Jaraguá terá novas medidas contra covid-19 a partir de 1º de março
Saúde

Com novo decreto, Prefeitura de Jaraguá detalha restrições

O Governo do Estado publicou o Decreto 1.172 nesta sexta-feira (26) suspendendo o funcionamento de serviços não essenciais das 23h desta sexta-feira (26) até às 6h de segunda-feira (1º)
Com novo decreto, Prefeitura de Jaraguá detalha restrições
Saúde

Governo decreta fechamento de atividades não essenciais no fim de semana em SC

A decisão é mais uma medida do Executivo estadual para reforçar o enfrentamento ao coronavírus em um momento de agravamento da situação sanitária em Santa Catarina
Governo decreta fechamento de atividades não essenciais no fim de semana em SC
Economia

Câmara de Dirigentes Lojistas de Jaraguá do Sul inova com lançamento do CDL BOX

Além de beneficiar clientes e lojistas, a ferramenta ainda servirá para ajudar instituições jaraguaenses cadastradas.
Câmara de Dirigentes Lojistas de Jaraguá do Sul inova com lançamento do CDL BOX
Ver mais de Economia