dengue
ECONOMIA

Dívida Pública Federal cai 0,44% em outubro para R$ 3,763 trilhões, diz Tesouro

26 Nov 2018 - 09h51Por Lorenna Rodrigues e Eduardo Rodrigues

O estoque da dívida pública federal (DPF) caiu 0,44% em outubro, quando atingiu R$ 3,763 trilhões. Os dados foram divulgados nesta segunda-feira, 26, pelo Tesouro Nacional. Em setembro, o estoque estava em R$ 3,779 trilhões.

A correção de juros no estoque da DPF foi de R$ 16,81 bilhões em outubro. Já as emissões de papéis totalizaram R$ 57,007 bilhões, enquanto os resgates chegaram a R$ 90,263 bilhões, o que resultou em um resgate líquido de R$ 33,26 bilhões.

A DPF inclui a dívida interna e externa. A Dívida Pública Mobiliária Federal interna (DPMFi) caiu 0,17% e fechou o mês passado em R$ 3,622 trilhões.

Já a Dívida Pública Federal externa (DPFe) ficou 6,73% menor, somando R$ 140,95 bilhões no nono mês do ano.

12 meses

A parcela da DPF a vencer em 12 meses subiu de 16,28% em setembro para 16,49% em outubro, segundo o Tesouro Nacional. O prazo médio da dívida subiu de 4,23 anos em setembro para 4,24 anos no mês passado.

O custo médio acumulado em 12 meses da DPF passou de 10,52% ao ano em setembro para 10,06% ao ano em outubro .

Prefixados

A parcela de títulos prefixados na DPF caiu de 33,88% em setembro para 32,51% em outubro. Já os papéis atrelados à Selic aumentaram a fatia, de 34,08% para 35,27%.

Os títulos remunerados pela inflação subiram para 28,31% do estoque da DPF em outubro, ante 27,84% em setembro. Os papéis cambiais reduziram a participação na DPF de 4,21% em setembro para 3,91% no mês passado.

Todos os papéis estão dentro das metas do Plano Anual de Financiamento (PAF) para este ano.

O intervalo do objetivo perseguido pelo Tesouro para os títulos prefixados em 2018 é de 32% a 36%, enquanto os papéis remunerados pela Selic - de acordo com a última revisão do PAF - devem ficar entre 33% e 37%. No caso dos que têm índices de preço como referência, a meta é de 27% a 31% e, no de câmbio, de 3% a 7%.

Estrangeiros

Os estrangeiros aumentaram a participação na dívida pública brasileira em outubro. A fatia dos investidores não-residentes no Brasil no estoque da DPMFi subiu de 11,67% em setembro para 11,97% no mês passado, somando R$ 433,41 bilhões, segundo os dados divulgados pelo Tesouro Nacional. Em setembro, o estoque nas mãos de estrangeiros estava em R$ 423,53 bilhões.

Os fundos de investimento continuaram os maiores detentores de papéis do Tesouro, com a participação passando de 26,14% em setembro para 25,99% no mês passado. Já a fatia do grupo Previdência passou de 25,35% para 25,29%.

A parcela das instituições financeiras no estoque da DPMFi teve queda de 22,79% em setembro para 22,66% em outubro. Já as seguradoras tiveram crescimento na participação de 3,99% para 4,01%.

Matérias Relacionadas

Trânsito

Detran possibilitará emissão gratuita da carteira de habilitação, em Santa Catarina

Programa CNH Emprego na Pista deve beneficiar pessoas em situação de vulnerabilidade econômica e social
Detran possibilitará emissão gratuita da carteira de habilitação, em Santa Catarina
Economia

Boletim Agropecuário da Epagri aponta valorização de 13% no preço do arroz em Santa Catarina

Com 100% da safra colhida, produto teve aumento em função da enchente prolongada no Rio Grande do Sul
Boletim Agropecuário da Epagri aponta valorização de 13% no preço do arroz em Santa Catarina
Economia

Anatel adota medidas contra venda de celulares não homologados em plataformas de comércio eletrônico

Medida fortalece a regulamentação da ativação do chip FM em celulares homologados no Brasil
Anatel adota medidas contra venda de celulares não homologados em plataformas de comércio eletrônico
Economia

Em 2023, população brasileira ocupada passou dos 100 milhões

De acordo com o IBGE, 37% deles tinham carteira assinada
Em 2023, população brasileira ocupada passou dos 100 milhões
Ver mais de Economia