ECONOMIA

Direcional: Formato de anúncio de mudanças no MCMV gera mais insegurança

15 Mai 2019 - 22h01Por Renato Carvalho e Circe Bonatelli

o presidente da Direcional Engenharia, Ricardo Ribeiro, acredita que a forma como o governo anunciou mudanças no programa Minha Casa Minha Vida gera mais insegurança para o setor de construção civil. "Esse governo sabe da importância da segurança jurídica e previsibilidade para se atrair investimento e capital estrangeiro para o País. O formato que foi feito esse anúncio vai na contramão do que precisamos, e gera ainda mais insegurança num setor extremamente relevante para a geração de empregos e investimento social no país", afirma o executivo.

O governo cogita mudar o subsídio dentro do programa habitacional. A ideia é doar terrenos públicos nas regiões metropolitanas para as construtoras e financiar as obras por meio de recursos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). A construtora ainda ficaria responsável por administrar o condomínio, depois de pronto, durante um período em torno de 20 a 30 anos. Por sua vez, o beneficiário pagaria um aluguel pelo uso da moradia, podendo converter os valores na propriedade do imóvel no fim desse período caso se mantenha adimplente.

A iniciativa para estudar as mudanças foi confirmada ao Broadcast, sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado, pelo Ministério do Desenvolvimento Regional. Também participam dos estudos o Ministério da Economia e a Caixa Econômica Federal.

Matérias Relacionadas

Economia

Bolsonaro confirma mais duas parcelas do auxílio emergencial

Valor será menor do que os atuais R$ 600
Bolsonaro confirma mais duas parcelas do auxílio emergencial
Economia

Caixa libera saque da 2ª parcela de auxílio para nascidos em maio

Mais de 50 bancos participam da operação de pagamento
Caixa libera saque da 2ª parcela de auxílio para nascidos em maio
Economia

Petrobras reajusta em 5% preço do gás de cozinha

Preço médio da estatal será equivalente a R$ 24 por botijão de 13 kg
Santa Catarina

Empresômetro aponta mais de 946 mil empresas ativas em Santa Catarina

Nos quatro primeiros meses de 2020, foram abertos 49 mil negócios no estado
Empresômetro aponta mais de 946 mil empresas ativas em Santa Catarina
Ver mais de Economia