Joaçaba Pneus
ECONOMIA

Desconforto com declaração de Bolsonaro ainda pesa e juros longos sobem

01 Mar 2019 - 19h45Por Denise Abarca

O desconforto com as declarações do presidente Jair Bolsonaro sobre a Previdência, dadas quinta-feira, em encontro com jornalistas, continuou pesando sobre a curva de juros nesta sexta-feira, 1, em meio ainda ao avanço do dólar. Com isso, persistiu no mercado a postura defensiva, em especial às vésperas do feriado prolongado de carnaval. O mercado local estará fechado na segunda e terça-feira, enquanto no exterior as bolsas funcionam normalmente. As taxas de curto e médio prazos fecharam estáveis e as longas, em alta moderada.

No fechamento das 18h, a taxa do contrato de Depósito Interfinanceiro (DI) para janeiro de 2020 estava em 6,465%, de 6,485% na quinta no ajuste, e a do DI para janeiro de 2021 repetiu o ajuste de quinta, ao encerrar em 7,15%. A taxa do DI para janeiro de 2023 subiu de 8,252% para 8,30% e a do DI para janeiro de 2025, de 8,782% para 8,83%. A semana termina com os juros em patamares bem acima dos quais haviam encerrado a semana passada, no caso da ponta longa, mais 10 pontos-base.

"Ainda estamos colhendo efeitos residuais das declarações do presidente, que destoam da estratégia da equipe econômica", afirmou o diretor de Gestão de Renda Fixa e Multimercados da Quantitas Asset, Rogério Braga.

Bolsonaro admitiu que aceita reduzir de 62 anos para 60 anos a idade mínima de aposentadoria das mulheres, mudar o benefício de assistência social para idosos miseráveis e as regras de pensão por morte. A desidratação do texto colocou a equipe do ministro da Economia, Paulo Guedes, numa saia-justa porque as negociações na prática ainda nem começaram.

O vice-presidente Hamilton Mourão disse que Bolsonaro foi "mal interpretado". Para Braga, o efeito sobre as taxas não é maior justamente porque, por várias vezes, o governo, após impactos negativos de ações e declarações, tem recuado. "O governo tem voltado atrás e reconhecido erros, estão aprendendo a ser governo. É um aprendizado", disse.

Matérias Relacionadas

Economia

Exportação de SC cresce 36,3% em maio

No acumulado de janeiro a maio, os embarques do estado somaram US$ 3,8 bilhões - um aumento de 11,2% em relação ao mesmo período de 2020
Exportação de SC cresce 36,3% em maio
Economia

Programa Juro Zero libera mais de R$ 2 milhões em dois meses

Programa de Microcrédito Municipal atende micro e pequenas empresas, microempreendedores individuais e autônomos
Programa Juro Zero libera mais de R$ 2 milhões em dois meses
Economia

Bolsonaro pede a empresários para segurarem preço dos alimentos

Pedido ocorreu durante encontro no Rio de Janeiro
Bolsonaro pede a empresários para segurarem preço dos alimentos
Economia

Copom eleva taxa básica de juros para 4,25% ao ano

Decisão de elevar a Selic pela terceira vez era esperada pelo mercado
Copom eleva taxa básica de juros para 4,25% ao ano
Ver mais de Economia