ECONOMIA

Déficit da balança comercial de produtos químicos soma US$ 4,9 bi, diz Abiquim

20 Mar 2019 - 18h21Por Beth Moreira

O déficit acumulado da balança comercial de produtos químicos atingiu US$ 4,9 bilhões nos dois primeiros meses do ano, o que representa um crescimento de 31,4% em relação ao mesmo período do ano passado, informou nesta quarta-feira, 20, a Associação Brasileira da Indústria Química (Abiquim).

No primeiro bimestre de 2018, as importações de produtos químicos somaram US$ 6,9 bilhões, uma elevação de 14,4% em relação ao mesmo período de 2018, sendo o maior valor importado para o período em toda a série histórica do acompanhamento da balança comercial setorial.

No mesmo período, as exportações totalizaram de US$ 2 bilhões, uma redução de 13,3% na mesma comparação, marcadas pela queda de 23,4% nas vendas externas para a Argentina. Segundo a Abiquim, a queda das vendas para a Argentina, principal parceiro comercial em produtos químicos, deve-se ao "delicado momento econômico do país vizinho".

Em fevereiro, as importações de produtos químicos foram de US$ 3,3 bilhões, uma elevação de 16% em relação ao mesmo mês no ano passado. Já as exportações, de US$ 960 milhões, tiveram uma redução de 7,4% em igual comparação.

A entidade destaca que os intermediários para fertilizantes permaneceram como principal item da pauta de produtos químicos importados, com forte elevação, de 41,4% em quantidades (4,4 milhões de toneladas) e de 64,1% em valor (US$ 1,3 bilhão), no primeiro bimestre deste ano. Já as resinas termoplásticas continuaram sendo os produtos químicos mais exportados pelo País, com vendas de US$ 321,2 milhões, apesar da redução de 8,2% em relação ao primeiro bimestre de 2018.

"O Brasil, que já despontava como alvo prioritário para desova de produtos excedentes com a guerra comercial entre os Estados Unidos e a China, será ainda mais impactado caso não sejam resolvidos rapidamente os problemas de alto custo de energia e de insumos estratégicos para o setor, que impedem as empresas brasileiras de competirem no mercado nacional e internacional", afirma em nota o presidente-executivo da Abiquim, Fernando Figueiredo.

"O déficit vem aumentando seguidamente e já ultrapassou US$ 30,8 bilhões nos últimos 12 meses, enquanto os volumes de produção são praticamente os mesmos de 2007. Lamentavelmente, o cenário econômico da Argentina, principal parceiro comercial brasileiro em produtos químicos, é muito delicado, o que agrava ainda mais o prognóstico para o transcurso do ano", destaca também em nota a diretora de assuntos de Comércio Exterior da Abiquim, Denise Naranjo.

Premix Concreto

Matérias Relacionadas

Economia

Lojas de Jaraguá ficam abertas até 17h neste sábado

Segundo Talita Beber, presidente da CDL Jaraguá do Sul, o comércio local está preparado com promoções, ações de vendas casadas e, com foco na segurança por causa da pandemia
Lojas de Jaraguá ficam abertas até 17h neste sábado
Economia

Governo do Estado institui o Auxílio Catarina

Benefício emergencial será destinado a mais de 60 mil famílias em situação de vulnerabilidade social e econômica no estado
Governo do Estado institui o Auxílio Catarina
Economia

Governo do Estado propõe auxílio emergencial para amenizar efeitos da pandemia

O investimento do Executivo será superior a R$ 37 milhões, com recursos já garantidos no orçamento
Governo do Estado propõe auxílio emergencial para amenizar efeitos da pandemia
Economia

Sicredi disponibiliza opção de pagamentos no WhatsApp

Instituição financeira cooperativa oferece nova opção de transferência para os associados por meio de parceria com o Facebook
Sicredi disponibiliza opção de pagamentos no WhatsApp
Ver mais de Economia