Imobiliária Coralli
Economia

Corupá decreta situação de emergência após estragos causados por vendaval

O decreto autoriza os órgãos municipais para atuarem sob a coordenação da Defesa Civil, nas ações de resposta ao desastre e reabilitação do cenário e reconstrução

06 Jul 2020 - 10h28Por Da Redação
Corupá decreta situação de emergência após estragos causados por vendaval - Crédito: Divulgação Crédito: Divulgação

O prefeito João Carlos Gottardi assinou o decreto de número 1962/2020 onde declara situação de emergência no Município de Corupá por conta dos estragos causados pelo vendaval que ocorreu na última terça-feira (30) e atingiu todo o Estado. O documento foi publicado no Diário Oficial do Município nesta sexta-feira (3) e tem efeito 90 dias (a partir do dia do vendaval).

O decreto autoriza os órgãos municipais para atuarem sob a coordenação da Defesa Civil, nas ações de resposta ao desastre e reabilitação do cenário e reconstrução; a convocar voluntários para reforçar as ações; autoriza a Defesa Civil a entrar em casas e propriedades que estejam em risco, para prestar socorro ou determinar a evacuação de moradores.

De acordo com a Defesa Civil de SC, ventos de cerca de 100 km/h atingiram a região de Corupá. A Defesa Municipal contabiliza os estragos na indústria, comércio, agricultura e nos espaços públicos. Estima-se que mais de mil propriedades tenham sido afetadas com destelhamentos, quedas de muros, postes, árvores ou de cercas; danos na agricultura e, principalmente, problemas na fiação elétrica. O Município, felizmente, não registra feridos, desabrigados ou desalojados.

Estimativa inicial prevê prejuízos de R$ 60 milhões na agricultura

Prefeitura Municipal em conjunto com a Associação dos Bananicultores de Corupá (Asbanco) está trabalhando para levantar os dados dos estragos causados na agricultura na cidade. Os trabalhos seguirão ao longo do fim de semana, mas estima-se que o prejuízo possa chegar a R$ 60 milhões somente na bananicultura. A Asbanco avalia que 50% das lavouras foram destruídas, o que dá uma média de 4 milhões de caixas de frutas que vão deixar de ser produzidas e vendidas.

“Percorremos o nosso município inteiro e o cenário é muito triste. Os danos na agricultura, indústria e comércio podem atingir valores altíssimos. Vamos buscar junto ao Governo do Estado e Federal apoio com recursos. Não tivemos prejuízos com vidas, o que nos fortalece a seguir em frente e juntos superarmos mais este desafio de 2020”, disse o prefeito João Carlos Gottardi.

 A Asbanco produziu um vídeo que mostra o panorama dos estragos na bananicultura em Corupá. Confira: https://www.youtube.com/watch?v=6pWAzmx3NBE&feature=youtu.be

 

Matérias Relacionadas

Economia

Produção industrial cresce em 14 locais em junho, diz IBGE

Maiores altas foram observadas nos estados do Amazonas e Ceará
Produção industrial cresce em 14 locais em junho, diz IBGE
Economia

INSS amplia serviço alternativo para receber documentação de segurados

Cópias dos documentos poderão ser depositadas em urnas nas agências
INSS amplia serviço alternativo para receber documentação de segurados
Economia

Mercado financeiro projeta queda de 5,62% na economia este ano

Para 2021, a estimativa de inflação permanece em 3%, diz BC
Mercado financeiro projeta queda de 5,62% na economia este ano
Economia

Celesc registra aumento no índice de inadimplência de 33% no primeiro semestre

Cortes de energia serão retomados em agosto. Consumidores de baixa renda não terão fornecimento interrompido
Celesc registra aumento no índice de inadimplência de 33% no primeiro semestre
Ver mais de Economia