105 Ouça
Caraguá
ECONOMIA

Confiança do consumidor cai 0,5 ponto em fevereiro ante janeiro, revela FGV

22 Fev 2019 - 09h28Por Daniela Amorim

A confiança do consumidor caiu 0,5 ponto em fevereiro ante janeiro, na série com ajuste sazonal, informou nesta sexta-feira, 22, a Fundação Getulio Vargas (FGV). O Índice de Confiança do Consumidor (ICC) desceu a 96,1 pontos, após quatro meses seguidos de avanço, período em que acumulou um aumento de 13,5 pontos.

"Após quatro meses de alta, a confiança acomodou em fevereiro influenciada por uma reavaliação das expectativas. As previsões dos consumidores sobre economia e situação financeira das famílias, que atingiram níveis próximos ao máximo da série em janeiro, recuaram, o que parece normal após a onda de otimismo pós período eleitoral. É possível que nos próximos meses, a tendência de altas moderadas do ISA e reavaliação do IE persistam levando a uma gradual convergência entre os dois", avaliou Viviane Seda Bittencourt, Coordenadora da Sondagem do Consumidor no Instituto Brasileiro de Economia da FGV (Ibre/FGV), em nota oficial.

Em fevereiro, o Índice de Situação Atual (ISA) manteve a trajetória de alta pelo quarto mês consecutivo ao subir 1,3 ponto, para 78,1 pontos, o maior nível desde abril de 2015. Já o Índice de Expectativas (IE) diminuiu 1,7 ponto, para 109,0 pontos.

O item que mede a avaliação sobre a situação econômica atual avançou 1,2 ponto, para 85,4 pontos, maior nível desde dezembro de 2004. O componente sobre a percepção em relação às finanças familiares no momento presente cresceu 1,5 ponto, para 71,4 pontos. No entanto, o item que avalia o grau de otimismo com a situação financeira das famílias nos próximos meses foi o que mais contribuiu para o recuo do ICC em fevereiro, com queda de 5,7 pontos, para 105,9 pontos. O componente sobre as perspectivas futuras para a situação econômica diminuiu 4,3 pontos, para 126,6 pontos.

Mesmo com a acomodação das expectativas, os consumidores aumentaram a intenção de compras nos próximos meses, ressaltou a FGV. O componente de ímpeto de compras subiu 5,0 pontos, para 92,6 pontos, o maior patamar desde outubro de 2014.

Entre as faixas de renda, a maior queda na confiança ocorreu entre as famílias mais pobres, que recebem até R$ 2.100,00 mensais: a redução na confiança foi de 6,2 pontos, para 96,9 pontos em fevereiro, por conta do pessimismo em relação às perspectivas com a situação financeira.

A Sondagem do Consumidor coletou informações de 1.967 domicílios em sete capitais, com entrevistas entre os dias 1º e 19 de fevereiro.

GNet

Matérias Relacionadas

Economia

Receita abre consulta a lote residual de restituições do IR

Contribuintes receberão crédito bancário no próximo dia 31
Receita abre consulta a lote residual de restituições do IR
Economia

Oportunidade de trabalho

Confira!
Oportunidade de trabalho
Segurança

Banco Central comunica vazamento de dados de 160,1 mil chaves Pix

Foram vazados dados cadastrais da Acesso Pagamentos
Banco Central comunica vazamento de dados de 160,1 mil chaves Pix
Economia

Presidente negocia PEC para zerar impostos sobre combustíveis

Em 2021, a gasolina e o diesel subiram 47%, Etanol acumula alta de 62%
Presidente negocia PEC para zerar impostos sobre combustíveis
Ver mais de Economia