Premix Concreto
Economia

CNI lança guia de gestão ambiental baseado no Plano de Sustentabilidade da FIESC         

20 Nov 2020 - 10h11Por Janici Demetrio

A Confederação Nacional da Indústria (CNI) lançou nesta quinta-feira (19) dois manuais para orientar as empresas do setor na formulação de seus planos de adaptação à mudança do clima e para a obtenção de financiamento, considerando questões ambientais.
 
O documento intitulado Indústria Resiliente foi elaborado em parceria com a Federação das Indústrias de Santa Catarina (FIESC), por meio do Plano Sustentabilidade. O outro manual é o Financiamento para o clima – Guia para otimização do acesso pela indústria. O lançamento das diretrizes ocorreu durante a live "Gestão de risco climático - fator chave para gestão, investimentos e continuidade dos negócios", que contou com a participação do presidente da Câmara Ambiental da FIESC, José Lourival Magri.
 
Magri relatou as dificuldades enfrentadas pela indústria catarinense em relação às mudanças de clima, incluindo o primeiro furacão registrado no hemisfério Sul, em 2004 e eventos que se sucedem com mais frequência, como cheias e estiagens.
 
“Agora em junho, ocorreu um ciclone bomba que deixou 10 mortes e prejuízos da ordem de R$ 1,5 bilhão. Entre novembro e dezembro de 2019 e maio deste ano tivemos uma grande estiagem no Estado, comparada à seca de 1957, e que prejudicou o funcionamento de cinco ou seis usinas hidrelétricas no Sul do Brasil, comprometendo a produção de 6 mil megawatts”, disse, ao destacar que a região Oeste do Estado vive agora mais uma estiagem. Magri observou também que a reconhecida e tradicional Oktoberfest surgiu de uma mobilização de reconstrução de Blumenau, depois de uma cheia que atingiu a cidade, bem como diversas outras regiões catarinenses nos dois anos seguintes.
 
Para o presidente da Câmara Ambiental da FIESC, a indústria não está alheia a estas situações, que podem comprometer os processos produtivos – da geração da matéria-prima ao escoamento dos produtos acabados. “A mudança climática está na pauta das indústrias e faz parte de todo o processo produtivo; por isso, este guia será uma ferramenta para que, junto com outros sistemas de gestão e de planejamento estratégico, considere a variável da mudança climática para se prevenir e se tornar cada vez mais resiliente”, afirmou. 
 
Tendo por base o Plano de Sustentabilidade, da FIESC, o guia faz a adequação de metodologia consolidada internacionalmente à realidade da indústria nacional, a partir da incorporação de seus conceitos às ferramentas de gestão da qualidade e de risco já praticados pelo setor industrial, de forma a contribuir para a criação da cultura de prevenção ao risco climático na cadeia produtiva.
 
 
 

Matérias Relacionadas

Geral

Em live, Bolsonaro pede que população economize energia elétrica

Presidente alertou sobre baixo nível de reservatórios
Em live, Bolsonaro pede que população economize energia elétrica
Economia

PIB cresce 7,7% do segundo para o terceiro trimestre, diz IBGE

Apesar do crescimento, economia não recuperou perdas da pandemia
Economia

Confira as vagas de emprego disponíveis em Corupá

Os interessados podem se informar e deixar currículo na Secretaria de Assistência Social, Trabalho e Habitação de segunda a sexta-feira.
Confira as vagas de emprego disponíveis em Corupá
Economia

Conta de luz ficará mais cara em dezembro

Custo será de R$ 6,243 para cada 100 quilowatts hora consumidos
Conta de luz ficará mais cara em dezembro
Ver mais de Economia