Delivery Much
ECONOMIA

CCJ rejeita por 43 votos requerimento para adiar reforma por três sessões

23 Abr 2019 - 22h26Por Idiana Tomazelli, Adriana Fernandes e Camila Turtelli

A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara rejeitou requerimento para adiar a votação da reforma da Previdência por três sessões, por 43 votos a zero. Antes, o plenário da comissão já havia derrubado outro pedido, de adiamento por quatro sessões, com 39 votos a zero.

Agora, o colegiado aprecia um requerimento de adiamento por duas sessões. Há ainda um pedido da oposição sobre a mesa antes da votação da admissibilidade da reforma.

O presidente da CCJ, Felipe Francischini (PSL-PR), provocou a oposição ao repetir no plenário que eles não obtiveram as assinaturas necessárias para apresentar o requerimento de suspensão da tramitação da proposta, por falta de estimativas sobre seu impacto mediante o teto de gastos. Segundo Francischini, a oposição angariou 99 assinaturas, ante 103 necessárias.

Em meio aos bate-bocas, a deputada Gleisi Hoffmann (PT-PR), presidente da legenda, reagiu com nova provocação dizendo que o atual governo só obterá "pibinho" no crescimento econômico. Ela disse que, nos governos petistas, o crescimento era maior e agora a taxa corre o risco de ficar abaixo de 1%.

Premix Concreto

Matérias Relacionadas

Economia

Apostador de Fortaleza acerta os seis números sorteados na Mega-Sena

Os números sorteados neste sábado foram 02, 09, 34, 49, 51, 55
Apostador de Fortaleza acerta os seis números sorteados na Mega-Sena
Economia

Nascidos em outubro podem sacar auxílio emergencial a partir de hoje

Serão beneficiadas 3,5 milhões de pessoas
Nascidos em outubro podem sacar auxílio emergencial a partir de hoje
Economia

Mega-Sena acumula e prêmio vai para R$ 22 milhões

A quina teve 75 ganhadores, com prêmio individual de R$ 32.688,93
Mega-Sena acumula e prêmio vai para R$ 22 milhões
Economia

Copom mantém juros básicos da economia em 2% ao ano

Apesar de alta na inflação, BC decidiu não mexer na Selic
Copom mantém juros básicos da economia em 2% ao ano
Ver mais de Economia