ECONOMIA

Bolsas de NY fecham em queda na esteira da decisão do Federal Reserve

01 Mai 2019 - 19h31Por Gabriel Wainer

Os mercados acionários de Nova York encerraram o pregão desta quarta-feira, 1º de maio, em queda após a divulgação da decisão de política monetária do Federal Reserve (Fed, o banco central americano), que manteve a taxa dos Fed funds na faixa entre 2,25% e 2,50% e sinalizou pouca preocupação com a recente fraqueza da inflação.

Em Wall Street, o índice Dow Jones fechou em queda de 0,61%, em 26.430,14 pontos, enquanto o S&P 500 caiu 0,75%, em 2.923,73 pontos. O índice eletrônico Nasdaq, por sua vez, recuou 0,57%, em 8.049,64 pontos.

As bolsas nova-iorquinas abriram em alta na esteira do balanço da Apple, publicado após o fechamento do pregão de terça-feira. Os resultados da gigante de tecnologia surpreenderam analistas, o que levou diversas instituições financeiras como o Morgan Stanley e o Wells Fargo a elevarem o preço-alvo do papel da companhia.

Nesse sentido, a Apple viu suas ações se valorizarem 4,91% na sessão de hoje. Além disso, a Netflix também se valorizou na sessão de hoje após divulgar lista de novos filmes e seriados que passarão a constar no catálogo da empresa de streaming a partir deste mês e subiu 2,23%.

Os mercados acionários se fortaleceram ainda mais em um primeiro instante após a decisão de política monetária do Fed indicar manutenção na atual taxa básica de juros e corte de 5 pontos-base na taxa de juros sobre o excesso de reservas (IOER, na sigla em inglês), que passou de 2,40% para 2,35%.

O cenário mudou, no entanto, após o presidente do Fed, Jerome Powell, afirmar durante coletiva de imprensa que as atuais condições inflacionárias podem ser apenas "transitórias", o que diminuiu apostas de que poderia haver corte de juros por causa da inflação fraca.

O diretor de investimentos do Bleakley Advisory Group, Peter Boockvar, disse, em relatório, que "o mercado quer esse corte na taxa e Powell basicamente disse 'desculpe, mas não nós não queremos isso'".

Analistas do JPMorgan também acreditam que a decisão de cortar a taxa do IOER não sinaliza eventual direção a ser tomada nas próximas decisões de política monetária do Fed, ressaltando que o comunicado de hoje tem poucas alterações em relação ao divulgado em março.

Diante dessas indicações, de acordo com os contratos futuros dos Fed funds monitoradas pelo CME Group, as apostas que o Fed pudesse reduzir as taxas de juros ao menos uma vez até o fim do ano caíam de 72,9%, imediatamente após a divulgação do comunicado, para 56,2%.

Matérias Relacionadas

Economia

Exportações catarinenses caem 5,5% no primeiro semestre

Recuo nas vendas de carnes de aves e de suínos e também de soja prejudicam desempenho no acumulado do ano; alta nas exportações de motores elétricos e madeira minimizam queda
Exportações catarinenses caem 5,5% no primeiro semestre
Economia

Senado adia votação da reoneração da folha de pagamento de 17 setores

Senado adia votação da reoneração da folha de pagamento de 17 setores
Economia

Câmara aprova texto-base da reforma tributária com trava no IVA

Inclusão de carnes na cesta básica foi aprovada em destaque
Câmara aprova texto-base da reforma tributária com trava no IVA
Economia

INPC fica em 0,25% em junho, acima da inflação oficial

Índice acumula taxas de 2,68% no ano e de 3,70% em 12 meses, diz IBGE
INPC fica em 0,25% em junho, acima da inflação oficial
Ver mais de Economia