ECONOMIA

Bolsas de NY fecham em leve alta antes de reunião de Fed

18 Dez 2018 - 18h52Por Victor Rezende

Os mercados acionários americanos apresentaram recuperação após fortes perdas recentes e encerraram o pregão desta terça-feira, 18, em alta, no momento em que os investidores aguardam, com ansiedade, pela reunião de política monetária do Federal Reserve (Fed, o banco central americano). A sessão, contudo, foi marcada pela volatilidade, com os principais índice de ações oscilando entre ganhos e perdas durante a tarde, em um movimento que ajudou o índice VIX a encerrar o dia no maior nível desde março.

O indicador de volatilidade, que usa as opções de ações do S&P 500 para medir as expectativas dos traders em relação às oscilações nos mercados de ações, fechou em alta de 4,32%, cotado a 25,58 pontos. Com o VIX acima da marca psicológica dos 20 pontos, os negócios mostraram forte ímpeto altista desde o início do pregão - algo que perdeu fôlego ao longo da tarde, no momento em que os preços do petróleo aprofundaram perdas já expressivas e ao mesmo tempo em que voltou ao foco a possibilidade de uma paralisação do governo de Donald Trump.

De acordo com o líder republicano no Senado americano, Mitch McConnell, não houve acordo entre situação e oposição para evitar o "shutdown" do governo na madrugada de sexta-feira para sábado. Além disso, McConnell indicou que os republicanos não têm mais nenhum projeto sobre a mesa para deixar o governo aberto e operante, tendo em vista que Trump deseja verba para a construção de um muro na fronteira com o México - demanda que os legisladores democratas têm lutado contra.

Com o retorno do risco político, as bolsas abandonaram a alta de mais de 1% vista mais cedo. O índice mais afetado foi o S&P 500, que subiu apenas 0,01%, para 2.546,16 pontos, pressionado pela forte baixa dos papéis de energia. Com os preços do petróleo em queda livre - o WTI negociado em Nova York chegou a cair 8% -, ações de companhias ligadas à commodity foram duramente afetadas. O papel da Chevron caiu 2,41%, o da ExxonMobil cedeu 2,76%, o da ConocoPhillips teve baixa de 1,92% e o da Chesapeake despencou 5,78%.

Por trás do tombo do petróleo, esteve, entre outros motivos, a preocupação com o crescimento econômico global. "Há, definitivamente, muita preocupação por aí. Ainda achamos que os indicadores apontam para uma tendência de expansão da economia, mas os mercados estão voltados para o futuro e, se você observar a história dos preços das ações, eles tendem a atingir o pico antes do início de recessões", comentou o economista Matthew Turner, do banco de investimentos Macquarie.

Mesmo assim, o índice Dow Jones mostrou leve recuperação ao subir 0,35%, para 23.675,64 pontos; enquanto o Nasdaq se favoreceu de papéis de tecnologia para avançar 0,45%, para 6.783,91 pontos. De acordo com levantamento do Citi, mais de 55% das empresas que compõem o S&P 500 viram suas ações entrarem em "bear market" após caírem 20% ou mais em relação ao pico em 52 semanas. Com a leve alta de hoje, o estrategista-chefe de ações do banco, Tobias Levkovich, adota um viés mais positivo, ao indicar que "a maioria de nossas métricas aponta que aproveitar a fraqueza é algo apropriado neste momento", mas ressalta cautela antes da decisão de política monetária do Fed nesta quarta.

Matérias Relacionadas

Economia

Sorteio da Quina de São João será neste sábado

Prêmio de R$ 170 milhões é o maior do concurso
Sorteio da Quina de São João será neste sábado
Economia

Banco Central nega possibilidade de golpe com Pix agendado

Segundo órgão, mensagem que circula na internet não passa de rumor
Banco Central nega possibilidade de golpe com Pix agendado
Economia

Governo deve anunciar prorrogação do auxílio nesta semana, diz Guedes

Ministro se reuniu com empresário na Fiesp, em São Paulo
Governo deve anunciar prorrogação do auxílio nesta semana, diz Guedes
Política

Secretário e deputados discutem aperfeiçoamento do Prodec

A iniciativa visa tornar os benefícios do principal programa de incentivo ao desenvolvimento da indústria mais acessíveis ao investidor
Secretário e deputados discutem aperfeiçoamento do Prodec
Ver mais de Economia