terça, 23 de abril de 2019 - 21h02
(47) 3371-1010Central (47) 3372-1010Ao Vivo
ECONOMIA

Bolsas de NY fecham em alta, com relações comerciais EUA-China no foco

13 Fev 2019 - 20h18

Os mercados acionários americanos deram prosseguimento à alta vista na terça-feira e encerraram o pregão desta quarta-feira, 13, em alta, ainda em uma reação otimista às negociações comerciais entre Estados Unidos e China e diante de comentários do presidente americano, Donald Trump, sobre o assunto.

O índice Dow Jones fechou em alta de 0,46%, aos 25.542,73 pontos; o S&P 500 avançou 0,30%, para 2.753,01 pontos; e o Nasdaq teve ganho de 0,08%, para 7.420,38 pontos.

O nervosismo quanto à desaceleração do crescimento econômico nos EUA diminuiu nas últimas sessões em Wall Street, após sinais encorajadores da Casa Branca sobre as negociações comerciais. Trump disse, durante visita do presidente da Colômbia, Iván Duque, a Washington, que as conversas estão "indo muito bem", embora não tenha garantido que haverá um acordo com os chineses. Na terça-feira, o mandatário americano sinalizou que pode estender o prazo de 1º de março da trégua comercial caso um pacto entre os dois países esteja próximo.

"Os investidores estão olhando para o copo meio cheio até agora neste ano", disse o diretor de investimentos da Penn Mutual Asset Management, Mark Heppenstall. Ainda assim, algumas preocupações continuam no radar, como os detalhes sobre um possível acordo comercial, e a possibilidade de o Federal Reserve (Fed, o banco central americano) deixar de lado a pausa prometida no aumento das taxas de juros, tendo em vista que os sinais de cautela do Fed provocaram a recuperação do mercado de ações em 2019.

O índice de preços ao consumidor (CPI, na sigla em inglês) ficou estável na passagem de dezembro para janeiro, embora o núcleo do indicador, que exclui itens voláteis como energia e alimentos, tenha subido 0,2% na mesma base comparativa, em linha com o esperado pelo mercado. Em base anual, contudo, tanto o CPI quanto o núcleo avançaram acima do projetado pelo mercado. "A inflação moderada permitiu que o Fed fosse paciente e gradual durante todo esse processo de aperto. Nossa expectativa é de que os dirigentes estejam esperando pelo saldo deste ano", afirmou Heppenstall.

Pensando justamente no Fed, papéis de bancos foram favorecidos e apresentaram alta nesta quarta-feira: a ação do JPMorgan subiu 0,48%; a do Citigroup teve avanço de 0,59% e a do Goldman Sachs ganhou 0,10%. Fonte: Dow Jones Newswires.