ECONOMIA

Bolsas da Europa fecham sem sinal único, de olho nas notícias dos EUA

21 Dez 2018 - 15h13Por Gabriel Bueno da Costa

As bolsas europeias fecharam sem sinal único nesta sexta-feira, 21. Além de indicadores locais, investidores estiveram atentos a notícias dos Estados Unidos, com o risco de paralisação parcial do governo, mas também uma sinalização de que o Federal Reserve (Fed, o banco central americano) pode não ter pressa no aperto monetário que conduz.

O índice pan-europeu Stoxx 600 fechou em alta de 0,03%, em 336,69 pontos. Na comparação semanal, ele recuou 3,03%.

Na agenda dos indicadores, o Produto Interno Bruto (PIB) do Reino Unido cresceu 0,6% no terceiro trimestre ante o segundo e 1,5% na comparação anual, como previsto. Já na França, o PIB foi revisado para baixo, mostrando crescimento de 0,3% no terceiro trimestre ante o anterior, ante expectativa de alta de 0,4% de analistas. Na zona do euro, o índice de confiança do consumidor recuou de -3,9 em novembro a -6,2 na leitura preliminar de dezembro, diante de uma previsão de -4,2 dos economistas.

Nos EUA, o risco de que o governo sofra paralisação parcial a partir de sábado é visto como uma ameaça à economia, que poderia reverberar no exterior. O presidente Donald Trump tenta convencer a oposição democrata a liberar verba para a construção de um muro, mas eles resistem a apoiar isso, o que gera um impasse.

Por outro lado, Williams, do Fed de Nova York, ressaltou que o BC americano estará de olho nos indicadores e nos mercados para tomar suas decisões, enfatizando que haverá flexibilidade caso os sinais da economia piorem. As declarações animaram num primeiro momento os mercados acionários dos dois lados do Atlântico, faltando cerca de uma hora para o fechamento na Europa.

Na bolsa de Londres, o índice FTSE-100 fechou em alta de 0,14%, em 6.721,17 pontos, e recuou 1,81% na comparação semanal. Entre as mais negociadas, Lloyds subiu 1,02% e Barclays, 0,78%, porém Vodafone caiu 2,01%.

Em Frankfurt, o índice DAX teve alta de 0,21%, a 10.633,82 pontos, com baixa de 2,13% na semana. Deutsche Bank subiu 0,60%, mas Deutsche Telecom caiu 0,76%.

Na bolsa de Paris, o índice CAC-40 subiu 0,04%, a 4.694,38 pontos, mas recuou 3,28% na semana. Entre os bancos, Crédit Agricole caiu 0,44%, mas BNP Paribas avançou 0,25% e Société Générale teve alta de 0,57%.

O índice FTSE-MIB, da bolsa de Milão, teve baixa de 0,97%, a 18.397,19 pontos, e na comparação semanal caiu 2,72%. Intesa Sanpaolo recuou 1,69% e Telecom Italia registrou baixa de 3,81%. ENI cedeu 0,38%.

Em Madri, o índice IBEX-35 recuou 0,46%, a 8.556,80 pontos, e na semana teve perda de 3,71%. Santander caiu 1,19%, o papel mais negociado, e Banco de Sabadell cedeu 1,45%. Já Repsol subiu 0,38%.

Na bolsa de Lisboa, o índice PSI-20 teve queda de 0,53%, a 4.649,97 pontos, e na semana caiu 3,19%. Banco Comercial Português recuou 2,18% e Galp Energia, 0,81%. (Com informações da Dow Jones Newswires)

Matérias Relacionadas

Economia

Dólar fecha abaixo de R$ 5 pela primeira vez em mais de um ano

Bolsa encerrou com queda de 0,38%
Economia

ACIJS completa 83 anos e apresenta nova plataforma digital a associados e comunidade

A Associação Empresarial de Jaraguá do Sul ACIJS completa nesta terça-feira (22) 83 anos desde sua fundação em 22 de junho de 1938.
ACIJS completa 83 anos e apresenta nova plataforma digital a associados e comunidade
Geral

Há 20 anos no mercado, empresa Bold aposta em inovação e cria acrílico antiviral

Sócio fundador e CEO da BOLD, Ralf Benedito Sebold, participou ao vivo do Diário da Jaraguá desta terça-feira (22).
Há 20 anos no mercado, empresa Bold aposta em inovação e cria acrílico antiviral
Geral

GUARAMIRIM - Programa Nascer recebe propostas para pré-incubação de ideias inovadoras

Objetivo da iniciativa é visa estimular a inovação e o empreendedorismo inovador de base tecnológica
Ver mais de Economia