ECONOMIA

Bolsas da Europa fecham na maioria em alta, mas Londres recua com libra forte

26 Fev 2019 - 16h15Por Gabriel Bueno da Costa

Em uma sessão volátil, a maioria das bolsas europeias fechou em alta nesta terça-feira, 26, recuperando-se de perdas registradas mais cedo. Londres, contudo, manteve-se em queda, pressionada pela força da libra, que tende a levar a território negativo ações de exportadoras britânicas. Além disso, investidores monitoraram indicadores e as declarações do presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central americano), Jerome Powell, em sabatina no Senado.

O índice pan-europeu Stoxx 600 fechou em alta de 0,39%, em 373,64 pontos.

No Reino Unido, o Partido Trabalhista, de oposição, disse na segunda que pode apoiar um segundo plebiscito para a saída do país da União Europeia, o Brexit. Hoje, a premiê Theresa May afirmou que, caso o Parlamento não aprove o acordo fechado por seu governo até 12 de março, serão votadas duas opções: o adiamento da saída da UE ou uma separação sem acordo. O presidente do Banco da Inglaterra (BoE, na sigla em inglês), porém, alertou que, à exceção do setor financeiro, a economia do país não está preparada para uma ruptura sem acordo nem um período de transição. De qualquer modo, o anúncio de May fortaleceu a libra, pressionando ações de exportadoras do país.

Na Bolsa de Londres, o índice FTSE-100 fechou em queda de 0,45%, a 7.151,12 pontos. Fresnillo teve baixa de 8,3%, após balanço que frustrou a expectativa dos investidores. Croda recuou 3,5%, após resultado trimestral também abaixo do esperado.

Na agenda de indicadores, o instituto GfK informou que a confiança do consumidor da Alemanha seguiu em 10,8 em março, em linha com o esperado pelos analistas. Além disso, as declarações de Powell foram monitoradas. O presidente do BC dos EUA afirmou que a situação econômica atual do país é "saudável" e a perspectiva, favorável, mas também comentou que há sinais conflitantes nos últimos meses.

Em Frankfurt, o índice DAX fechou em alta de 0,31%, em 11.540,79 pontos. Entre os papéis mais negociados, Aroundtown subiu 1,20% e Deutsche Bank, 1,06%, mas Deutsche Telekom recuou 0,58%. No setor de energia, E.ON avançou 0,75%.

Na bolsa de Paris, o índice CAC-40 teve ganho de 0,13%, a 5.238,72 pontos. Entre os destaques, Air France-KLM subiu 5,38%, Vallourec avançou 3,42% e AXA, 0,11%. Já a montadora Peugeot recuou 2,94% e o banco Société Générale caiu 1,09%.

O índice FTSE-MIB, da bolsa de Milão, subiu 0,11%, a 20.459,59 pontos. Entre os bancos italianos, Intesa Sanpaolo recuou 0,38%, mas BPM avançou 3,58% e Unione di Banche Italiane, 1,93%.

Na bolsa de Madri, o índice IBEX-35 fechou em alta de 0,25%, a 9.227,20 pontos. Urbas Grupo Financiero subiu 1,28% e Banco de Sabadell teve ganho de 0,82%, enquanto Iberdrola caiu 0,03% e Santander, 0,14%.

Em Lisboa, o índice PSI-20 avançou 0,21%, a 5.163,89 pontos. Altri teve alta de 1,12% e Banco Comercial Português subiu 0,21%. (Com informações da Dow Jones Newswires)

Premix Concreto

Matérias Relacionadas

Economia

Programa de Microcrédito de Jaraguá já tem adesão de instituição financeira

Termo de credenciamento da instituição foi assinado nesta quinta-feira
Programa de Microcrédito de Jaraguá já tem adesão de instituição financeira
Economia

Mais de 70% das indústrias têm dificuldades em conseguir matéria-prima

É o que revela pesquisa feita pela CNI
Mais de 70% das indústrias têm dificuldades em conseguir matéria-prima
Economia

Caixa paga hoje auxílio emergencial a nascidos em fevereiro

Benefício terá parcelas de R$ 150 a R$ 375
Caixa paga hoje auxílio emergencial a nascidos em fevereiro
Educação

Sicredi lança plataforma digital com cursos gratuitos para associados 

São mais de cem possibilidades de cursos
Sicredi lança plataforma digital com cursos gratuitos para associados 
Ver mais de Economia