ECONOMIA

Bolsas da Europa fecham em alta à espera de mais uma votação do Brexit

13 Mar 2019 - 17h07Por Gabriel Wainer

As bolsas europeias fecharam em alta nesta quarta-feira, 13, com os investidores aguardando a votação, no Parlamento britânico, para decidir sobre a possibilidade de uma ruptura do Reino Unido com a União Europeia sem acordo.

O índice pan-europeu Stoxx 600 fechou em alta de 0,62%, a 375,60 pontos.

A primeira-ministra britânica, Theresa May, sofreu na terça-feira mais uma derrota no Parlamento local, que rejeitou sua proposta de saída do Reino Unido da UE com uma diferença de 149 votos, bem acima do que esperava o governo.

Nesta quarta, a partir das 16 horas (de Brasília), os parlamentares britânicos decidem se aprovam ou não um Brexit sem acordo. Caso essa alternativa também seja rejeitada, na quinta, será votada a opção de adiar o prazo final para a implementação da saída do Reino Unido da UE, originalmente marcada para o dia 29 de março.

Mais cedo, o principal negociador da UE para o Brexit, Michael Barnier, questionou a relevância de eventualmente estender a saída do Reino Unido para além do dia 29, uma vez que as duas propostas de acordo de May foram derrotadas no Parlamento. Sobre isso, o analista da CMC Markets, Michael Hewson, disse que "embora o adiamento seja fácil de alcançar, não é de forma alguma correto que a UE se sinta obrigada a aceitar esta opção, se não houver forte razão que justifique o adiamento".

Na Bolsa de Londres, o índice FTSE-100 fechou em alta de 0,11%, a 7.159,19 pontos. Se destacaram no pregão desta quartaa Standard Life Aberdeen, que subiu 2,37%, e as petrolíferas Royal Dutch Shell e British Petroleum, que subiram 0,7% e 2,09% respectivamente, apoiadas pelo fortalecimento dos preços do petróleo.

Na Bolsa de Paris, o índice CAC-40 registrou avanço de 0,69%, a 5.306,38 pontos. A fabricante de aeronaves Airbus subiu 2,01%, a hoteleira Accor subiu 1,58% e o BNP Paribas avançou 1,18%.

Em Frankfurt, o índice DAX apresentou alta de 0,42%, a 11.572,41 pontos. A Bayer teve alta de 1,49%, seguida pelo Deutsche Bank, que apresentou melhora de 1,29%. Já a Adidas foi o destaque negativo do dia, com perda de 2,38% após anunciar que espera problemas em sua cadeia de fornecimento no primeiro semestre de 2019.

Na Bolsa de Milão, o índice FTSE-MIB subiu 0,57%, a 20.749,20 pontos, com destaque para a metalúrgica Tenaris, que subiu 2,97%.

Em Madrid, o índice IBEX-35 subiu 0,34%, a 9.192,70 pontos, e em Lisboa o índice PSI-20 avançou 1,06%, a 5.206,19 pontos, apoiado pelo Banco Comercial Português, que subiu 2,15%, e a Galp Energia, que se beneficiou do aumento dos preços do petróleo.

A Eurostat ainda divulgou, nesta quarta, os dados de produção industrial da zona do euro, que cresceu 1,4% em janeiro ante dezembro, superando as expectativas dos analistas ouvidos pelo Wall Street Journal.

Premix Concreto

Matérias Relacionadas

Economia

Calendário de restituições não muda com novo prazo do Imposto de Renda

Reembolso continuará a ser feito entre maio e setembro
Calendário de restituições não muda com novo prazo do Imposto de Renda
Economia

Cooper inicia distribuição do Retorno das Sobras

Os mais de R$ 13,5 milhões chegam em forma de crédito para cooperados em um momento importante para a retomada da economia
Cooper inicia distribuição do Retorno das Sobras
Economia

Receita adia o prazo de entrega da Declaração de Imposto de Renda

Novo prazo se encerrará no dia 31 de maio
Receita adia o prazo de entrega da Declaração de Imposto de Renda
Economia

Prazo para contestar auxílio emergencial negado termina hoje

Pedidos devem ser feitos na página da Dataprev na internet
Prazo para contestar auxílio emergencial negado termina hoje
Ver mais de Economia