ECONOMIA

Austrália e Cingapura suspendem voos com Boeing 737 MAX

12 Mar 2019 - 11h13

Mais reguladores e empresas aéreas se pronunciaram hoje contra o Boeing 737 MAX, com Austrália, Cingapura e autoridades de vários países da América Latina decidindo suspender sua utilização após a queda de uma aeronave desse modelo na Etiópia no último domingo (10).

No pré-mercado em Nova York, a ação da Boeing caía mais de 3% por volta das 10h05 (de Brasília). Ontem, nos negócios dos mercados à vista, o papel fechou em baixa de 5,3%.

A decisão veio apesar de a Administração Federal de Aviação dos EUA (FAA, pela sigla em inglês) garantir a segurança do avião num momento em que autoridades americanas e etíopes, além da Boeing, investigam o acidente.

Nos últimos dias, a suspensão anunciada por reguladores estrangeiros levou à ociosidade de cerca de 40% da frota de Boeings 737 MAX. A maioria dessas aeronaves é do MAX 8, o modelo envolvido no acidente na Etiópia, que matou as 157 pessoas a bordo.

A Boeing entregou mais de 370 unidades do MAX a 47 clientes.

O acidente na Etiópia ocorreu menos de seis meses depois que outro Boeing 737 MAX 8 caiu na Indonésia, reforçando preocupações sobre a segurança do avião.

Ontem, China e Indonésia também decidiram suspender a utilização do MAX 8. Fonte: Dow Jones Newswires.

Premix Concreto

Matérias Relacionadas

Economia

Geo Portal, da Prefeitura de Jaraguá, alcança mais de 600 consultas diárias

Serviço busca expandir informações geográficas do município de forma simples e rápida
Geo Portal, da Prefeitura de Jaraguá, alcança mais de 600 consultas diárias
Economia

Lucro da Weg cresce 48,5% no 4º trimestre, para R$ 742,2 milhões

No ano, o lucro chegou a R$ 2,340 bilhões, avanço de 45% ante o ano anterior
Lucro da Weg cresce 48,5% no 4º trimestre, para R$ 742,2 milhões
Economia

Bolsonaro sanciona projeto que dá autonomia ao Banco Central

Medida prevê mandatos para dirigentes do órgão
Bolsonaro sanciona projeto que dá autonomia ao Banco Central
Economia

Dólar tem pequena queda e fecha a R$ 5,42

Bolsa sobe 0,38% em dia de recuperação
Ver mais de Economia