Joaçaba Pneus
ECONOMIA

Aumento em IRPJ e CSLL puxa crescimento da arrecadação, diz Receita

21 Mar 2019 - 12h16Por Idiana Tomazelli e Fabrício de Castro

O aumento na arrecadação em fevereiro foi puxado por um crescimento real de 37,45% nas receitas com Imposto de Renda de Pessoa Jurídica (IRPJ) e Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL), que somaram R$ 21,351 bilhões no mês passado, informou a Receita Federal.

Do aumento absoluto de R$ 5,817 bilhões na comparação com fevereiro de 2018, R$ 4,6 bilhões são de arrecadações extraordinárias, observou o Fisco.

Outros fatores que contribuíram para esse impulso na arrecadação foram a melhora do resultado das empresas e a redução nos valores compensados pelas companhias para reduzir o tributo pago. Em fevereiro de 2018, as empresas compensaram R$ 2,523 bilhões, contra R$ 259 milhões em fevereiro de 2019.

Esse desempenho contribuiu para que a arrecadação em fevereiro fosse recorde desde pelo menos 2007.

A ampliação nas receitas com IRPJ/CSLL foi a principal influência nas receitas administradas no mês passado, embora o crescimento tenha sido generalizado. A arrecadação também avançou no IRPF (32,86%), nas receitas previdenciárias (1,11%), no IOF (11,27%) e no Imposto de Importação e IPI vinculado (8,69%).

Matérias Relacionadas

Economia

Rede catarinense Havan inaugura 160ª filial

Esta é a primeira loja da rede no estado sergipano. Atualmente, a Havan está presente em 18 estados brasileiros, mais o Distrito Federal
Rede catarinense Havan inaugura 160ª filial
Economia

Decisão sobre reajuste de bandeiras tarifárias deve sair até o dia 30

Aumento pode passar de 20%, diz diretor da Aneel
Decisão sobre reajuste de bandeiras tarifárias deve sair até o dia 30
Economia

Caixa antecipa pagamento de terceira parcela do auxílio emergencial

Novo calendário começa nesta sexta-feira, para nascidos em janeiro
Caixa antecipa pagamento de terceira parcela do auxílio emergencial
Economia

FIESC defende redução temporária do imposto de importação do aço

O insumo teve alta superior a 100% em 12 meses e tem impactado diversos setores, principalmente a construção e o metalmecânico
FIESC defende redução temporária do imposto de importação do aço
Ver mais de Economia