ECONOMIA

Aprovação da fusão com Disney deve exigir venda da 'Fox Sports'

22 Fev 2019 - 09h14Por Lorenna Rodrigues

Em acordo com o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) para garantir a aprovação da compra da Fox, a Disney, em um acordo de US$ 71,3 bilhões, deverá vender os canais da Fox Sports no Brasil. Segundo o Broadcast, serviço de notícias em tempo real do Grupo Estado, apurou, a venda foi a solução encontrada para resolver a principal preocupação do órgão em relação ao negócio, que é a concentração dos canais esportivos.

Como a Disney já é proprietária dos canais ESPN, a fusão com a Fox deixaria um mesmo dono com dois dos principais canais esportivos da TV por assinatura - só restaria a SporTV, da Globosat. A tendência é que o Cade determine que a venda dos canais de esporte da Fox seja feita para uma terceira empresa que não a Globosat.

A empresa e o Cade estão agora finalizando os últimos detalhes do acordo. O julgamento foi marcado para a próxima quarta-feira, dia 27.

Para o advogado Ademir Pereira Júnior, que representa a associação de operadoras de pequeno porte NeoTV, a compra da Fox forma um duopólio de canais esportivos no Brasil. Ele lembra que entrada da Fox no segmento beneficiou o setor, pois criou uma disputa entre os canais, principalmente por direitos de exclusividade de campeonatos como Libertadores da América e Copa do Mundo.

Em dezembro, a Superintendência-Geral do Cade recomendou ao tribunal do órgão que imponha restrições ao negócio por entender, justamente, que a operação causa um aumento significativo na concentração no mercado de canais esportivos.

Procurada, a Disney não quis se pronunciar sobre o assunto. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Premix Concreto

Matérias Relacionadas

Economia

Geo Portal, da Prefeitura de Jaraguá, alcança mais de 600 consultas diárias

Serviço busca expandir informações geográficas do município de forma simples e rápida
Geo Portal, da Prefeitura de Jaraguá, alcança mais de 600 consultas diárias
Economia

Lucro da Weg cresce 48,5% no 4º trimestre, para R$ 742,2 milhões

No ano, o lucro chegou a R$ 2,340 bilhões, avanço de 45% ante o ano anterior
Lucro da Weg cresce 48,5% no 4º trimestre, para R$ 742,2 milhões
Economia

Bolsonaro sanciona projeto que dá autonomia ao Banco Central

Medida prevê mandatos para dirigentes do órgão
Bolsonaro sanciona projeto que dá autonomia ao Banco Central
Economia

Dólar tem pequena queda e fecha a R$ 5,42

Bolsa sobe 0,38% em dia de recuperação
Ver mais de Economia